domingo, 30 de novembro de 2014

RBS fecha sucursal do DC em Lages


   Do blog do Milton Barão

   Decididamente o Grupo RBS tem uma relação de amor e ódio com Lages e com a Serra Catarinense. Amor porque quando o grupo chegou em SC, abriram logo uma Atlântida em Lages. Assim como abriu uma sucursal do Diário e mais recentemente transferiram a TV Centro Oeste de Joaçaba para cá.

   Mas no meio disso tudo tem o outro lado da moeda, pois a FM teve vida curta (1987/88) e logo encerrou as atividades e vendeu a concessão.

   Não foi diferente com os jornais do Grupo, pois quando compraram A Notícia (Joinville), a primeira providencia foi fechar a sucursal de Lages. E nesta semana, a mais recente, ou seja, o fechamento da sucursal do Diário. Pela competência de um dos melhores jornalistas do jornal, o Pablo Gomes, lhe foi oferecido transferência para a Capital, porém ele não aceitou, pois criou vínculos e escolheu ficar em Lages.

   Quem será a próxima vítima?

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Corrupção bate na porta do prefeito de Lages

   Se antes as investigações e suspeitas de que a Operação Águas Limpas de Lages havia chegado à ante sala do prefeito Elizeu Mattos (PMDB), com a prisão de seu motorista recebendo uma sacola com R$ 165 mil, agora parece que invadiu o gabinete do alcaide Lageano.

   Segundo o blog do Edson Varela, o promotor de Justiça, Joel Rogério Furtado Júnior, que preside o inquérito que investiga, há 8 meses, o lance de corrupção entre a Secretaria Municipal de Águas e Saneamento de Lages (SEMASA) e a empresa Viaplan, o Gaeco a encaminhar a investigação ao Tribunal de Justiça de SC.

   Por que?

   Elementar! Pelo simples fato de que compete ao TJ julgar crimes cometidos por prefeitos no exercício de mandato. É o popular Foro Privilegiado. Ora, só não vê quem não quer. No momento em que o processo desce a serra em direção à Capital, é porque o prefeito Elizeu Mattos é um dos envolvidos na maracutaia.

   É voz corrente na cidade serrana, que o prefeito Elizeu se escapou do flagrante por um triz. O Gaeco estaria monitorando um telefonema entre o prefeito, que estava em Florianópolis, e os empresários que estavam em Joinville. Todos a caminho da Capital da Serra. Os empresários teriam acertado a entregar o "mimo" de R$ 165 mil, assim que chegassem em Lages. 

   Ainda não se sabe porque, o prefeito chegou mais cedo e resolveu ficar no "Bar da Maria", mandando o seu motorista apanhar o combinado. Elizeu está esperando o retorno do Toninho, o motorista, até hoje.

   Agora vai ter que vir a Florianópolis explicar as conversas gravadas pelo GAECO, que foram muitas durante 8 meses.

“Diante da demonstração do envolvimento de um agente político com foro privilegiado, esse procedimento investigatório foi encaminhado ao Tribunal de Justiça”. (Joel Rogério Furtado Júnior)

Propinagem
Segundo o promotor JoelFurtado Júnior, em entrevista exclusiva para a a jornalista Eduarda Demeneck, da BAND SC  “O que a investigação durante esses oito meses descobriu foi o desvio reiterado de dinheiro público através do retorno desses valores a título de propina. Então não foram só esses R$ 165.000,00. Aconteceram outros pagamentos da mesma forma que esse que aconteceu no flagrante”.

Academia promove debate sobre reforma política

   Na próxima quinta feira, dia 27 de novembro, Florianópolis receberá os maiores expoentes do direito eleitoral para debater a reforma política. As palestras acontecerão nos dias 27 e 28, no auditório do Tribunal de Contas do Estado.
   Os palestrantes virão a convite da Academia Catarinense de Direito Eleitoral, abrindo o ciclo de outros eventos que ocorrerão em SP, BH e DF.   

PROGRAMAÇÃO
Debate 1- Das 9hs às11hs -Tema:
A Reforma Política: procedimento de discussão e aprovação da reforma: exclusivamente congressual; plebiscito e congresso; congresso e referendo; assembleia constituinte derivada revisora- WALBER AGRA

Debate 2- Das 11hs às 13 hs -Tema:
Sistema eleitoral - eleição proporcional em dois turnos; RODOLFO VIANA/ CARLOS GONÇALVES;

Debate 3 – Das 14hs às 16hs Tema:
Propaganda – liberdade de expressão; KARINA KUFA/ RUY SAMUEL ESPÍNDOLA/ GUILHERME GONÇALVES;

Debate 4 – Das 16hs às 18hs Tema:
Medidas de democracia partidária – papel do Congresso e da Justiça Eleitoral; ADRIANO SOARES DA COSTA

Dia 28/11 - sexta-feira
Debate 5 – Das 9hs às 11hs Tema :
Financiamento de campanha (transparência na arrecadação e gastos)- ANA SANTANO

Programa supimpa


   Lançamento do inventário do patrimônio imaterial do distrito de Santo Antônio de Lisboa (Sambaqui, Cacupé, Barra do Sambaqui e Santo Antônio) desenvolvido pela Associação de Moradores de Antônio de Lisboa.
   Além de um CD com músicas tradicionais da Ilha, trabalho desenvolvido pelo músico Marcelo Muniz, terá a apresentação de um vídeo documentário produzido por Maurício Muniz e o lançamento do livro"O tempo da farinha", do jornalista e historiador Celso Martins).
   Os trabalhos são o resultado de mais de 20 entrevistas com antigos moradores, feitas para o projeto Cantares e Fazeres.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Escândalo CELESC/MONREAL: Justiça arrola bens do vice-governador Eduardo Pinho Moreira e mais 14 pessoas

Em decisão, atendendo pedido do Ministério Público de bloqueio de bens no valor de R$ 24.358.298,12, sobre caso de improbidade administrativa na Celesc, o juiz o Rafael Sandi conclui: 
"Nada mais abusivo e ilegal - senão criminoso!

       A Justiça decretou medida cautelar de arrolamento de bens e ainda uma medida cautelar inominada, impondo aos réus - Eduardo Pinho Moreira, Carlos Rodolfo Schneider, José Afonso da Silva Jardim, Gerson Pedro Berti, Eduardo Carvalho Sitonio, Miguel Ximenes de Melo Filho, Octávio Acácio Rosa, Arnaldo Venício de Souza, Marcelo Gasparino da Silva, Carlos Alberto Martins, Sérgio Rodrigues Alves, Monreal Corporação Nacional de Serviços Cobrança S/C Ltda, Francisco Eider de Figueiredo, Dogma Consultoria e Marketing Ltda e Claudio Sebastião de Oliveira, a obrigação de apresentar à Justiça sua completa situação patromonial nos anos de vigencia do malfadado contrato de cobrança de faturas em atraso entre a Celesc e a empresa Monreal.  

     Segundo o juiz, Rafael Sandi, da 1º Vara da Fazenda Pública da Capital:

   (...) Compulsando o caderno procesual, verifico que já de início o valor estimado era superior ao percentual acordado (R$ 6.583.67, 70 - p. 24). Mas não só isso. No decorer de seis anos, a Monreal recebeu nada menos que R$ 152.145.789,0 (p.239-240). Isso porque houve completo desvirtuamento do objeto contratual, tendo a empresa pasado a receber valores advindos de créditos de fácil liquidação de impontualidade ordinária. O contrato prorogou-se ainda além do tempo permitdo, até 2010, quando o prazo máximo seria 209 (p. 520-530).

   Mesmo que se desprezasem todas esas gravísimas iregularidades já verificadas neste momento inicial do proceso, acaso não houve efetivo dano aos cofres da empresa pública, somente de maio de 206 a dezembro de 209 a Montreal teria recebido no mínimo R$ 56.472.290,23 a mais do que o valor realmente devido, segundo levantamento extraoficial (p. 156).

   Também pudera, entrementes às diversas deliberações administrativas que aditaram ilegalmente o contrato então vigente, a Celesc chegou a repasar à Montreal a cobrança de faturas vencidas há 45 dias ou mais, mesmo que se mantivese ligada a energia elétrica. Mais do que iso: as unidades consumidoras em situação de desligamento definitvo deveriam ser repasadas diretamente à carteira de cobrança comum, isto é, não seriam mais cobradas pela Monreal, o que é de causar espécie, pois as contas das unidades consumidoras com energia desligada seriam justamente as únicas cobranças que deveriam ser de alçada da contratada ausente esa circunstância, inexistiria qualquer motivação para o contrato entabulado.


   Com as alterações esenciais promovidas indevidamente na repactuação, o faturamento bianual da Monreal com o contrato pasou de R$ 6.545.352,34 (204-205) o que deveria esgotar o objeto contratual para R$ 73.971.272,87 (206-207).

   Isso não ocorreu à toa, evidentemente. Como não havia qualquer controle sobre os recebimentos, a empresa era remunerada mesmo que houvese pagamento voluntário do consumidor, ou seja, recebia, em verdade, parcela de praticamente todas as quitações de faturas em atraso.

Nada mais abusivo e ilegal – senão criminoso!

Entenda o caso Celesc/Monreal
(Matéria do Cangablog de setembro de 2011)

O GOLPE MILIONÁRIO DA CELESC 

R$ 373.285.198.55

Queridos leitores, esse numerão acima é o valor que deveria ter entrado no caixa da Celesc para justificar o pagamento de R$ 51,7 milhões à empresa de cobrança Monreal, com quem a nossa maior empresa pública mantém um contrato pra lá de suspeito.

Leio no blog do Moa, ainda agora, que o vice-governador e ex-presidente da Celesc, Eduardo Pinho Moreira, chegou há pouco de umas férias pelas paradisíacas terras italianas.

Chegou cheio de gás - também pudera, férias assim turbina qualquer um - dizendo que já falou com o presidente da estatal, Antônio Gavazzoni e com ex-diretores da empresa.

Que estaria se inteirando do resultado da polêmica auditoria que resultou na constatação da não comprovação de 51,7 milhões de reais pagos à Monreal, empresa contratada para cobrar faturas atrasadas da Celesc.

   
     Leia matéria completa. Beba na fonte.

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Retórica e prática (ou estelionato eleitoral)


     Por Emanuel Medeiros Vieira

"Não coloqueis nos poderosos a vossa confiança. 
São apenas homens nos quais não há salvação.
Quando se lhe for o espírito, ele voltará ao pó.
E todos os seus projetos se desvanecerão de uma só vez".
(SALMOS, 145-3/4)

   Marina iria tirar a comida do prato dos pobres - através dos malvados banqueiros - segunda os marqueteiros da candidata Dilma.
   O desmatamento diminuiria e seriam defendidos os índios, os quilombolas, a reforma agrária etc.
   Sempre os "outros" fariam maldades, segundo a propaganda oficial.
   Ganha a eleição.
   O que faz?
   Convida um BANQUEIRO para ser ministro da Fazenda. O homem do Bradesco não aceita, mas aceitam homens do chamado MERCADO.
   E para o ministério da Agricultura? Chama alguém da Pastoral da Terra? Não. Chama a senadora Kátia Abreu, musa do agronegócio, que detesta tudo que refere-se a movimentos sociais, demarcação das terras indígenas, questão fundiária etc.
   Ela era qualificada de direitista extremada pelos apoiadores da presidente. Estão em completo silêncio tais defensores.
   Poderíamos chamar tal postura de ESTELIONATO ELEITORAL?
   Poderíamos.
   D. Tomás Balduíno - combativa e honrada figura - remexe-se no túmulo.
   O insuspeito Jânio de Freitas escreve: "O primeiro movimento para o novo governo parece feito em marcha-ré".
   O termo "estelionato eleitoral" foi escrito por Clóvis Rossi, que indaga: "Gostaria muito de saber se os colunistas e blogueiros que endossaram a propaganda dilmista farão agora o devido registro do que era uma empulhação". (...)
   Poderia me alongar. Não vou.
   E ainda reclamam quando as pessoas acham que foi tramada numa pocilga a política reles e mesquinha praticada no Brasil e alhures.
   Não refiro-me à "polis" aristotélica - da cidadania, do respeito e da valorização do humano.
(Brasília, novembro de 2014)

domingo, 23 de novembro de 2014

Os miúdos, os graúdos e a República...


   Por Marcos Bayer
   A semana foi farta em surpresas. O elogiável trabalho da Polícia Federal na Operação Lava a Jato prendeu os graúdos do país. Aqui na Ilha, não menos elogiável, prendeu os miúdos na Operação Ave de Rapina.

   Cabe, então, uma sugestão a estas duas instituições: Polícia Federal e Ministério Público bem que podiam organizar uma força-tarefa (PF-MP) e fazer uma limpeza na Administração Pública brasileira. Uma tarefa permanente.

   Quando os meninos brincam de polícia e ladrão e na brincadeira existem helicópteros imaginários, geralmente os chamam de Águia 1 e Águia 2. Uma maneira “secreta” de fazer referência aos dois aparelhos voadores.

   Alguns trechos das gravações da PF sobre os “pardais” e a corrupção decorrente das suas contratações são assim: ingênuos como nas brincadeiras dos meninos. “Olha, traz no elástico e no envelope a parte do chefe”.

   O que seria? Um lanche, uma tartaruga ou dinheiro?

   Os dois elementos da Guarda Municipal presos com R$ 100 mil reais na volta de Porto Alegre, junto com o Termo Aditivo que favorecia a empresa responsável pela instalação dos controles de velocidade em Florianópolis eram emissários de quem?

   Do além? Da FIFA? Da Ordem dos Templários?

   O ex-presidente da Câmara de Vereadores (César Luiz Belloni Faria) é nascido em 1966. O prefeito César Souza Jr. Em 1979. Ambos amadureceram sob a égide da Constituição de 1988. Ambos têm noções de Direito, Administração e Cidadania.

   Não se pode permitir que esta geração formada sob uma ordem jurídica democrática, num Estado de Direito, deixe passar alguns atos de corrupção como os da operação mencionada.

   O vereador procurador da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, além de embolsar R$ 25 mil mensais, tem o dever do exemplo funcional. Como representante popular, cujo mandato lhe rende mais R$ 13 mil, tem a obrigação de tratar dos assuntos da cidade com absoluta lisura.

   Não sabemos o resultado final das investigações. Não sabemos se o Ministério Público fará a DENÚNCIA, se o Magistrado vai recebê-la e como vai julgá-la.

   Não sabemos também, ainda, como reagirão os outros vereadores da CMF.
   
   No entanto, o prefeito, o ex-presidente da Câmara de Vereadores, alguns diretores de órgãos municipais e vereadores devem muitas explicações aos cidadãos de Florianópolis. Além das explicações, rescisões contratuais, mudanças na gestão, requalificação de pessoal, mais ética e eficiência. A cidade não suporta mais "estórias para boi dormir".

   O recém-inaugurado sistema de transporte municipal é um exemplo do engodo. Pintaram os ônibus de azul e branco, alteraram alguns horários e escreveram na lataria: sistema integrado de mobilidade. Como se mobilidade urbana fosse fantasia de carnaval.

   O prefeito também não precisa divulgar nota afirmando que foi à PF prestar esclarecimentos, espontaneamente. Ele foi intimado pelo delegado federal e numa democracia isto não deve ser objeto de vergonha ou medo. É rotina pública.

   Também não precisa promover reunião urgente dentro de automóvel. Assuntos políticos e públicos devem ser tratados em gabinete de trabalho.

   O trabalho, elogiável, da PF na Operação Ave de Rapina é um presente de Natal para a cidade. É educativo e merece o apoio de todos os cidadãos de uma República.

   Gente do tipo investigado, depois de comprovada a culpa, deve ser banida da vida pública, antes que possam vir a ser deputado, senador, governador ou até presidente. São nocivos aos interesses da República. Devem procurar dinheiro em atividades próprias da economia de mercado. Não na política.



sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O golpe Lula no FGTS dos trabalhadores

Quem investiu FGTS na Petrobras perdeu tudo
   
Trabalhadores que usaram o dinheiro do FGTS para comprar ações da Petrobras em 2000 injetaram R$ 1,61 bilhão na estatal, mas o que deveria ser grande investimento gerou perdas de 62,4% ao trabalhador. Ações que chegaram a valer R$ 103 em 2008 sucumbiram à avareza dos envolvidos no esquema do Petrolão e perderam 88,5% do valor, e chegaram a ser negociadas no pregão desta quinta a míseros R$ 12.
Prejuízo
Mais de 312 mil pessoas investiram até 50% do FGTS em ações da Petrobras. Tudo foi corroído e ainda saíram devendo: 144,3%.
Ladeira abaixo
Como nada é tão ruim que não possa piorar, as ações da Petrobras caíram 13,2% uma semana depois da prisão dos empreiteiros. (Do Diário do Poder)

Começa hoje o FLORIPA INSTRUMENTAL

Floripa Instrumental atraca no Ribeirão da Ilha

Só fera na volta do estupendo Dr. Cipó
Gratuito nos três dias (21,22 e 23 de novembro), evento está consolidado no calendário musical da Ilha, e tem como patrocinadora a Tractebel Energia, via Lei Rouanet, e os apoiadores Eletrosul, Fundação Catarinense de Cultura e Ação social e Cultural N.Sra. da Lapa

   Grupo Dr. Cipó, Trio Curupira, Rogério Caetano, Arthur Bonilla, Arismar do Espírito Santo, Nailor Proveta, Neto Fernandes, Arnou de Melo, entre outros músicos ancoram no palco do Floripa Instrumental, dias 21, 22 e 23 de novembro, na Freguesia do Ribeirão da Ilha, tendo como cenário a Igreja, o casario e a praça. Dali ecoam sons e tons que vão do chorinho ao jazz, passando pela MPB, bossa nova, regionalismos e muito improviso. Encontros inéditos no palco, como dos dois violões 7 cordas de Rogério Caetano e Arthur Bonilla, e reencontros como o do Dr. Cipó, que há quase 10 anos não se reúnem, fazem desse evento um porto seguro da cumplicidade musical entre instrumentistas e público.

   Na sexta-feira, três shows. O Dr. Cipó, com Guinha Ramires (violão), BB Kramer (acordeon), Endrigo Betega (bateria), Ronaldo Saggiorato, o Gringo, (contrabaixo) e Mário Conde (guitarra, violão tenor e bandola), promete choro, samba, jazz, música experimental, regional e muito mais, sempre com ritmo e criativas composições e arranjos.Depois é a vez dos catarinenses Rivo Trio e Cássio Moura Quarteto na abertura da Jam Sessions.

   No sábado, às 21 horas, o Trio Curupira, composto pelos músicos paulistanos André Marques (piano, escaleta, flautas, rabeca, percussão), Fábio Gouvêa (baixo, guitarra, violão, flautas, percussão) e Cleber Almeida (bateria, percussão, gaita, escaleta, cavaquinho, viola caipira), apresenta sua sonoridade permeada de miscigenações culturais existentes no Brasil. O catarinense Arnou de Melo sobe ao palco e depois é jam sessions para todos os gostos. Dali saíram encontros inusitados como Yamandu Costa no baixo e Jorginho do Trumpete no pandeiro, ou ainda, o rodízio de Arismar do Espírito Santo com os
Trio curupira
instrumentos do palco.

   No domigo, o som inicia mais cedo, às 17horas com a apresentação da nativa e centenária Banda da Lapa, e logo depois o encontro inédito dos músicos Rogério Caetano (violão 7 cordas), Arthur Bonilla (violão 7 cordas), Nailor Proveta (sax e clarinete), Arismar do Espírito Santo (baixo, guitarra, bateria e o que mais vier), e o bandolim da Ilha, Geraldo Vargas com os chorões Marcos Portella, Fabrício, Rafael Gaucer, Bernardo Senz

  “Já estive com o Rogerinho em rodas de música no Rio de Janeiro, mas nunca no palco. Isso vai ser uma sonzeira de 14 cordas e muito mais”, anima-se Bonilla. É finaleira, horas de chorões, chorinho e outros ritmos da música instrumental do mundo.

PROGRAMAÇÃO

21 de novembro - Sexta

21h – Dr. Cipó
22h – Rivo Trio(SC)
23h – Cássio Moura Quarteto(SC)
22 de novembro - Sábado
21h – Trio Curupira (SP)
22h – Arnou de Melo Trio(SC)
23h – Jam Session
23 de novembro - Domingo
17h – Banda da Lapa(SC)
18h – Super Roda com Arismar do Espírito Santo (SP), Rogério Caetano (RJ), Arthur Bonilla (RS), Nailor Proveta (SP), Geraldo Vargas e chorões da Ilha (SC)

domingo, 16 de novembro de 2014

Univitelinos


   Por Marcos Bayer

   Democracia e Justiça caminham juntas. De nada adianta votar nos membros do Executivo e do Legislativo se o Judiciário não funciona. Também não adianta ter um Judiciário competente sem eleger os membros dos outros dois poderes. Então, é óbvio, quem garante a democracia é um Judiciário competente. E vice versa. Dos direitos e deveres que o cidadão conquista com o voto ao eleger seus representantes, ele precisa do Judiciário para garantir suas escolhas.

   O Brasil evolui mais um tanto com as últimas eleições, com o desempenho da Polícia Federal, do Ministério Público e dos fatos denunciados em relação à Petrobrás. Parece que os três partidos que sustentam o governo (PT, PMDB e PP) estão envolvidos na corrupção pública/privada. Saberemos mais durante as investigações. É possível que outros partidos políticos, inclusive o PSDB, estejam envolvidos nesta ou noutras “aventuras com o dinheiro público”. Também saberemos com o passar do tempo.

   Este Brasil que vota, denúncia, prende, investiga e julga precisa melhorar.

   A velocidade do julgamento em terras brasileiras soa aos tempos das Ordenações Manuelinas. Coisa dos séculos XIV e XV.

   O prazo para julgar é o nosso grande entrave. Não o prazo do advogado que tem que ser cumprido, sob pena de prejuízos irreparáveis para a parte. Mas, o prazo do Juiz.

   Juízes não cumprem prazo porque a legislação processual de todos os ramos do Direito não o define. Então, é comum as partes esperarem cinco ou dez anos por uma sentença. Isto é motivo de risos em outras partes do mundo.

   Juízes não cumprem prazo por sobrecarga de trabalho, por falta de pessoal de apoio e por razões outras.

   Se a legislação processual em todos os ramos do Direito determinasse, por exemplo, trinta dias para a contestação, após lida e aceita a petição inicial, e dali mais trinta para a impugnação, e outros trinta para a audiência de conciliação e não havendo, mais trinta para o julgamento final, teríamos em 120 dias uma sentença de primeiro grau.

   E se dobrássemos todos os prazos, em 240 dias poderíamos ter uma sentença de segundo grau. Embargos, agravos e apelações teriam que ser apreciados, indistintamente, em até 30 dias, também.

   Assim, em 360 dias, ou um ano, o cidadão saberia do seu Direito.

   Não digam que é impossível. Basta contratar pessoal: magistrados e técnicos de apoio.

   Estes prazos são razoáveis no chamado primeiro mundo porque lá o cidadão precisa da resolução judicial para tocar sua vida.

   O Brasil caminha em duas velocidades. A da cibernética que impõem seu tempo ao Executivo e ao Legislativo e a medieval que baliza o Judiciário.

   Não pensem também que a digitalização processual vai melhorar a velocidade eficazmente. Ela apenas transfere do papel para a tela os autos do processo. E pode dar uma pequena contribuição no andamento cartorial.

   O prazo do Juiz é que é a bomba relógio. Sem a agilidade no julgamento não há segurança jurídica, não há direito reconhecido, não há cidadania plena.

   O novo Congresso Nacional eleito recentemente deveria cuidar da matéria. Não vislumbro nos senadores Silveira, Bauer e Berger o perfil para tratar da questão. Ou por falta de interesse na matéria, ou por não alcançar a importância da questão ou por precisar de prazos longos e prescrições para a sobrevivência política.

   Talvez na bancada federal, alguém com perfil de homem de Estado, pudesse compreender a lógica embutida na celeridade processual com a longevidade da democracia. Coisa que os ingleses ensinaram ao mundo e os norte-americanos e os alemães tão bem copiaram.

   Não por acaso, todo estudante do Direito aprende o conto do moleiro alemão molestado pelo emissário do Kaiser para demolir seu moinho a fim de não prejudicar a paisagem da nobreza: Ainda temos Juízes em Berlin...

   O debate está aberto: Prazo para o processo definido em Lei e executado pelo Juiz.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

É BATOM NA CUECA! Sacola de dinheiro apreendida em Lages cai no colo do prefeito.

Elizeu Mattos diz que foi traído pelo seu motorista, amigo íntimo de mais de 12 anos. O prefeito havia chegado de Florianópolis, com Toninho, minutos antes da prisão. Foi o tempo de ficar no Bar da Maria e mandar o motorista "recolher". O banco do carona ainda estava quentinho!   
   
Montagem sobre foto de Elizeu com o padrinho Luiz
   A prisão de empresários e do motorista do prefeito Elizeu Mattos, de Lages, feita pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) nesta última quarta-feira, caiu como uma bomba nas ruas da Capital da Serra Catarinense. A aprensão de uma sacola com mais de R$ 160 mil, de pagamento de propina, também teve repercussão nacional. 

Era um esquema reiterado de corrupção feito por uma organização criminosa para desvio de dinheiro público com o pagamento de propinas vultosas - diz promotor Joel Furtado, coordenador do GAECO em Lages.
   
   Em Florianópolis, a notícia da prisão da organização criminosa lageana acabou disputando espaço na imprensa com o escândalo recente que levou à prisão o presidente da Câmara de Vereadores, César Faria, do vereador Badeko e funcionários do IPUF e da Fundação Franklin Cascaes, na Capital. Tudo por roubalheira de dinheiro público.

   Segundo o Ministério Público de SC, as investigações em Lages, já tem 8 meses e iniciaram a partir do conhecimento da existência de irregularidades na contratação da empresa Viaplan, de Curitiba, tais como: fraude nas licitações, desvio de dinheiro público, corrupção e pagamento ilícito a agentes públicos (propina).

   O prefeito Elizeu Mattos, do PMDB, ex-líder do governo Luiz Henrique da Silveira, após a prisão do seu motorista e executivo de seu gabinete, nega, sem a indignação dos justos, qualquer conhecimento sobre a propinagem flagrada pelo GAECO e diz sentir-se traído pelo Toninho.

   SEMASA & VIAPLAN
Carro do prefeito já está na jaula
   Assim que assumiu o governo municipal de Lages, Elizeu Mattos nomeou para a presidência da SEMASA, Benjamin Schultz, presidente municipal do PMDB, que contratou "em carácter de emergência", sem licitação, a empresa Viaplan, de Curitiba, para administrar o serviço da Secretaria Municipal de Águas e Saneamento de Lages (SEMASA).

   O atual secretário da SEMASA, preso na operação Águas Limpas de Lages, engenheiro Vilson Rodrigues, é ex-funcionário da Viaplan. Ou seja, colocaram a raposa para administrar o galinheiro. Anteriormente, quem estava na presidência interina da Semasa era o chefe de gabinete do prefeito. Agora o seu motorista e executivo do gabinete é pego com a boca na botija, recebendo uma sacola de dinheiro - que segundo o MP não é a primeira vez - da empresa Viaplan e o prefeito, ao melhor estilo PT, diz que não sabia de nada!!!!! É muita cara dura!!!!

   Elizeu já foi condenado por improbidade
   O prefeito já foi condenado por desvio de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF) para aquisição de móveis para o seu gabinete na Secretaria Regional de Desenvolvimento de Lages; pela dispensa indevida de licitação para contratação de serviços de hospedagem e alimentação de participantes de eventos em Lages; pela prorrogação ilegal de contratos, pelo não atendimento das normas que determinam a publicidade de contratos; e pelo descumprimento de normas para dispensa de licitação e contratos, com destaque para contratos sucessivos de serviços de limpeza e conservação, e de vigilância e segurança patrimonial da Secretaria Regional.

   Litação com carta marcada
   
Prefeito e seu showzinho na abertura da licitação
Mesmo abaixo de tempo ruim, o prefeito Elizeu Mattos apareceu rapidamente ontem para fazer um 
mise en scène na abertura dos envelopes das propostas na licitação para contratar definitivamente um empresa para administrar a Semasa.

   Para surpresa geral, somente uma empresa estava inscrita: a Itajuí, que já havia sido afastada de uma obra do município e portanto não poderia participar da licitação.
   A Viaplan não participou da licitação. Prova inconteste do jogo de faz de contas. Licitação considerada deserta, novo contrato emergencial com a Viaplan que já estava mamando e pagando propina. Tudo como d'antes no quartel de Abrante! E o povo pagando a farra!
   
Toninho, amigo do prefeito
   Do blog do
Paulo Marques
  Mais que um motorista, um amigo
   Mais do que um ”simples motorista” o Antonio Carlos Simas “Toninho”, que foi preso ontem a noite pelo Gaeco, pode ser considerado como a pessoas mais próxima do prefeito Elizeu Mattos, na prefeitura de Lages. Amigo de todas as horas e que acompanha o Elizeu quase que 24 horas por dia, já por alguns anos, o Toninho era a pessoa de confiança do Elizeu. Ambos tem uma amizade de muitos anos e que não começou na prefeitura. Toninho também trabalhou na Assembléia Legislativa, junto com o então deputado. Na prefeitura o Toninho era considerado, e ganhava bem mais do que um simples motorista, na função de executivo de gabinete. Independentemente das consequências desta operação, e tomara que não acabe como a rumorosa Operação Moeda Verde em Floripa, cujos crimes prescreveram sem que ninguém fosse sequer denunciado, a relação do dinheiro público com as licitações é um escândalo. A Câmara de Vereadores de Lages deve instalar uma CPI para acompanhar o caso.

Motorista do prefeito ganhava mais de R$ 9 mil de salário
  
Contratos ilegais passavam de R$ 10 milhões

  Do blog da Olivete Salmória
   Quanto a Semasa, a questão que está pegando se refere aos contratos emergenciais sem licitação.
   Veja quantos ocorreram de janeiro a novembro desse ano mais de R$ 10 milhões:


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Motorista do prefeito de Lages é preso com sacola cheia de dinheiros

Detidos foram levados para a delegacia
A informação é do blog da Olivete Salmoria.

Toninho, motorista do prefeito de Lages, Eliseu Mattos (PMDB), foi preso esta noite em um hotel quando recebia uma sacola de dinheiro de um funcionário da empreiteira Viaplan que presta serviços para a Secretaria Municipal de Águas e Saneamento - SEMASA , de Lages.

Segundo informações do blog, a Gaeco já estava há muitos meses investigando o caso de pagamento de propina. Essa noite, assim que se encontrarm no hotel para fazer o pagamento da propina, uma equipe do Gaeco entrou em cena. Prendeu os três em flagrante e a prova do crime: uma sacola cheia de dinheiro. Foram levado para a delegacia, o motorista do prefeito Toninho, um outro funcionário da prefeitura e o uma pessoas da empreiteira Viaplan. O secretário da Semasa, Wilson Rodrigues,foi chamado à delegacia. E, pela informação que chega, Wilson atuava anteriormente nessa empresa, antes de ir para a Semasa. A Viaplan toca obras da Semasa.
A sacola de dinheiro apreendida



quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Vereador Badeko se entrega na Polícia Federal


   O vereador Marcos Aurélio Espíndola (PSD), o Badeko, envolvido na Operação Ave de Rapina, da Polícia Federal, se entregou no início da tarde na sede da PF, em Florianópolis.
Badeko, é acusado de tráfico de influência, usando a sua condição de vereador para favorecer empresários, em negócios com a administração pública, em troca de propina.

   Que a Câmara de Vereadores de Florianópolis há tempos se transformou num balcão de negócios é voz corrente na população. Os "negócios" do vereador Badeko eram sabidos e comentados em todos os bares da cidade.

   Recentemente o vereador, conhecido como "boca rota", teria acusou o prefeito de Florianópolis, César Júnior, de garantir R$ 1 mlhão para cada vereador que votasse a favor do aumento do IPTU. Após uma grande confusão e discussão na "casa do povo" sobre o que ficou conhecido como "mensalão da câmara", o vereador subiu à tribuna e se retratou dizendo que não disse o que havia dito. Esse é o personagem.

   Desta vez o vereado Badeko caiu nas malhas da Polícia Federal por estar envolvido até a medula no terceiro eixo da investigação da Operação Ave de Rapina: o Projeto de Lei Cidade Limpa.

   Reza a lenda que o prefeito César Junior, encantado com o seu colega de partido, Gilberto Kassab, então prefeito de São Paulo, resolveu imitá-lo e apresentou à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei Cidade Limpa. O projeto previa a retirada de out-doors e placas publicitárias das principais avenidas e bairros da cidade, como a SC-401 e o bairro Iatacorubi, que apresentam uma exposição violenta de propagandas, gerando uma grande poluição visual.

   Financiado por empresas publicitárias, o vereador Badeko apresentou o substutivo global ao projeto de lei do prefeito, desfigurando-o e mudando totalmente o resultado final da idéia que seria a despoluição visual de Florianópolis. Foi nessa paradinha d beneficiar empresários contra os interesses da população que o vereador Badeko foi pego pela Operação Ave de Rapina, da PF.


PF desmonta quadrilha na Câmara de Vereadores de Florianópolis

João Valle Pereira                           Verador Badeko                  Vereador César Faria
O presidente da Câmara de Vereadores, César Faria (PSD) e o presidente da Fundação Franklin Cascaes, João Augusto Freyesleben Valle Pereira, foram presos pela Polícia Federal nesta manhã. O vereador Marcos Aurélio Espíndola (PSD), o Badeko, está foragido.

   A Operação Ave de Rapina desencadeada nesta manhã de quarta-feira, cumpre 38 mandados de busca, apreensão e prisão de envolvidos em um grande esquema de corrupção 
em Florianópolis, Joaçaba e também em em Porto alegre e outras 3 cidades do interior do Rio Grande do Sul.

   Em Florianópolis, a quadrilha agia na Câmara de Vereadores, Instituto de Planejamento Urbana de Florianópolis (Ipuf) e Fundação Cultural Franklin Cascaes. A operação da PF tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa que rouba dinheiro público através de licitações fraudulentas.

   O ex-comandante da Guarda Municipal de Florianópolis, Jean Carlos Viana Cardoso e o ex-diretor de operações do IPUF, Júlio Pereira Machado, também foram enjaulados pela PF. Homens fortes do ex-prefeito Dário Berger e do atual presidente da Cãmara de Vereadores, César Faria, os dois já haviam sido presos pela PFR em setembro, com R$ 100 mil e farta propaganda eleitoral quando se deslocavam de Porto Alegre para Florianópolis.

   A Operação Ave de Rapina da PF, investiga empresas especializadas em radares e lombadas eletrônicas de Porto Alegre (KOPP) que simulavam concorrência em licitações com o apoio de servidores para garantir a elaboração de contratos com o poder público. Em troca, pagavam mensalmente propina aos integrantes da organização criminosa.

   A quadrilha atuava também na área cltural praticando fraude de licitações em eventos culturais. Segundo a PF, empresários especializados no ramo recebiam de agentes públicos informações privilegiadas relativas às empresas concorrentes e orientações de como proceder para fraudar a licitação — com consequente desvio e apropriação de recursos públicos. Segundo a PF, existe corrupção na elaboração de leis municipais em Florianópolis, com o objetivo específio de beneficiar ricos empresário que pagavam altas somas de dinheiro aos integrantes da quadrilha.


Correspondente português do Cangablog, Leal Roubão, fez matéria "premonitória" sobre a Cãmara da Vereadores de Florianópolis, no último dia 7 novembro.


   Por Leal Roubão

   A Escolinha do Professor Raimundo é mais engraçada e mais inteligente. Vossa Excelência pra cá, pra lá e eles vão se desentendendo.
   Um dos mais velhos e mais sérios lembrou que o sul da Ilha tem dois sistemas de esgoto em andamento. Um deles deveria estar concluído em dezembro de 2014, mas não estará.
   Faltou empenho e disposição dos executores.
   O outro sistema, mais ao sul, tem verbas da JICA (Japan International Cooperation Agency) à disposição da CASAN, mas por falta de obras específicas, o dinheiro está suspenso.
   Assim, no meio de um possível merdamoto, eles discutem temas com muita graça.
   Um deles diz que o dinheiro aprendido com os dois elementos da Guarda Municipal é fato isolado. Ora, se é fato isolado, é suficiente para instalar a CPI.
   Outro diz que o tal vereador que denunciou o prêmio da "seu voto vale uma emenda de um milhão" é mentiroso.
   Outro reclama que um vereador afro-descendente foi alçado ao cargo de prefeito ilegalmente.
   A maioria joga para a platéia, sem nenhum comprometimento com a cidade.
   Nenhum deles fez referências ao novo sistema integrado de mobilidade urbana: ônibus pintados de azul e branco (homenagem ao Avaí), com a nova frase nas laterais.
   Nada mudou, apenas a cor dos veículos. Nos "amarelinhos" a cor foi mantida. Só o preço mudou: aumento de R$ 1 real.
   Ou são idiotas ou não são sérios. São enganados pela PMF e nada dizem.
   Se a capital sobreviver a esta Câmara, estará pronta para a próxima guerra no Oriente Médio.
   Eles atiram para todos os lados e pouco fazem pela cidade. Imagina uma Câmara destas num seminário da ONU sobre o futuro das cidades.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Deus, o Homem, o Universo e a Tolerância.

   Recebi hoje do amigo Eperidião Amin este artigo que faz uma abordagem interessante e humurada sobre a surpreendente declaração do Papa Francisco a respeito da teoria da evolução (Darwin) e a fé cristã.
    
   Por Esperidião Amin

    Recente declaração do Papa FRANCISCO sobre a compatibilidade da teoria da evolução com a fé cristã causou grande repercussão. Nosso papa honra sua formação jesuíta ao derrubar tabus e varrer preconceitos com palavras simples, muitas vezes recorrendo ao método socrático de fazer perguntas para desmontar falsas premissas. É, realmente, um craque. A Igreja e a humanidade precisavam e precisam dele!

   O mito que atribui à Igreja Católica obscurantismo, a meu ver, é alimentado pelos fatos associados à Inquisição. Meu avô materno, Pellegrino Marini, artesão italiano nascido em Verona, se converteu num “anticlerical” desbocado e ferrenho por ter trabalhado em restaurações de prédios que serviram às práticas inquisitoriais, cujos vestígios o horrorizaram.

   Contudo, nem sempre foi assim e nem sempre será assim. A curiosidade – mãe das invenções e da inovação – me colocou aos 12 anos de idade diante de um livro extraordinário, intitulado “DEUS, o HOMEM e o UNIVERSO”. Meu pai me sugeriu que o folheasse (757 páginas.) e acabei levando quase um ano para ler e entender, ao menos em parte, seu conteúdo.

   Algumas características do livro merecem ser registradas: a) editado pela Livraria Tavares Martins (Porto, Portugal), em 1956, integra a coleção Filosofia e Religião, coligindo trabalhos de 18 cientistas, foi traduzido do francês pelo Padre (jesuíta) Agostinho Veloso, b) compreende textos, que vão desde “A existência de Deus e o materialismo contemporâneo” a “O mundo, sua origem e estrutura à luz da ciência e da fé”. Detalhe sugestivo: contém o Imprimatur, ou seja, a autorização da autoridade eclesiástica (Bispo de Lisboa) para ser impresso e lido.

   Não pretendo aqui resumir o livro. Quero, porém, destacar dois aspectos que ilustram sua produção. O primeiro diz respeito à sua elaboração e organização. A primeira edição data de 1937, sob o clima que ensejou a encíclica Divini Redemptoris, o Papa Pio XI, que, solenemente, condenou o comunismo ateu. Ou seja, não “nasceu” inspirado pela tolerância.

   O segundo é a afirmação, várias vezes repetida no livro, de que “criação não exclui evolução!”.

   As recentes palavras de Francisco me fizeram imaginar a reação que seu conteúdo ensejaria à família de Charles Darwin. Consta que depois da publicação de “A Origem das Espécies”, ele deixou de ir às missas dominicais. Sua numerosa família (dos dez, sete filhos sobreviveram), liderada pela fiel companheira (e prima) Emma, ia ao culto dominical e ele ia passear. Com esse “convite” do nosso papa jesuíta, a família Darwin, apesar das controvérsias, poderia voltar a rezar unida.

MPF de Lages denuncia meliante petista


    O Ministério Público Federal de Lages, SC, denunciou por falsidade ideológica o petista Henrique Pizzolato, atualmente foragido da justiça brasileira na Itália. O ex-diretor do Banco do Brasil, fazia parte da quadrilha formada pela alta cúpula do Partido dos Trabalhadores, que desviou bilhões e reais dos cofres públicos no famosos escândalo do Mensalão.

   Pizzolato era quadro de ponta do Partido dos Trabalhadores. Formado dentro do sindicalismo petista, foi ex-presidente do Sindicato dos Bancários em Toledo, PR, e ex-presidente de Central Unica dos Trabalhadores no Paraná. Em 2005 foi condenado por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro no processo que condenou a cúpula petista no caso do mensalão. Tornou-se foragido da Justiça Brasileira e passou a ser proprocurado internacionalmente pela Polícia Federal e Interpol.

Acusação detalha como o ex-diretor do BB forjou e utilizou documentos falsos
   O Ministério Público Federal em Lages (SC) encaminhou à 1ª Vara da Justiça Federal, na última quinta-feira, 06, denúncia criminal acusando Henrique Pizzolato de ter cometido por sete vezes o crime de falsidade ideológica - produção de documentos com informações falsas - e utilizado esses mesmos documentos por doze vezes, nos estados de Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro.

   Na acusação, o procurador da República Nazareno Jorgealém Wolff descreve os locais, as datas e o modo pelo qual Pizzolato conseguiu recriar, do ponto de vista documental, a personalidade do irmão Celso, falecido em um acidente de carro no Paraná no ano de 1978. Com os documentos falsos, Pizzolato obteve o passaporte italiano que lhe permitiu sair do Brasil e ingressar na Itália. O procurador também apresentou representação à Justiça Eleitoral do Rio de Janeiro por sete crimes eleitorais cometidos naquele estado pelo ex-diretor do Banco do Brasil .

   O MPF/SC pediu a instrução do processo pelo regime do tratado de cooperação judiciária que o Brasil mantém com a Itália, bem como a decretação da prisão preventiva, como forma de garantir a aplicação da lei penal.

   Os autos agora vão à apreciação da juíza federal em Lages, Giovana Cortez.

sábado, 8 de novembro de 2014

26 anos da queda do Muro de Berlim

Já se passaram 26 anos da queda do Muro de Berlim. Faço aqui uma homenagem à fantástica Berlim com algumas fotos tiradas em minha última estada na cidade. Também reproduzo um texto do meu querido amigo, morto recentemente, Janer Cristaldo.


03 DE OUTUBRO: UM DIA QUE AS ESQUERDAS DETESTAM LEMBRAR
   Por Janer Cristaldo
      
   Faz vinte anos. Era inverno e fui bronzear-me em Berlim. Afinal, como dizia um jornalista francês, o sol da liberdade também bronzeia. O Muro começava a ser derrubado e eu não poderia furtar-me ao gesto simbólico de quebrá-lo com minhas próprias mãos. Os comunistas alemães construíram uma obra para desafiar os séculos. Mais fácil demolir pirâmides. Meu martelo voltava com força a cada golpe e quase rebentei os dedos para conseguir dois míseros caquinhos. A solidez do concreto dava-lhe um caráter de eternidade e contaminou as mentes: escritor algum ousou antecipar em suas ficções ou ensaios a derrubada do Muro. Não devem ter lido Marx com atenção. Já no Manifesto, o profeta irado anunciava: tudo que é sólido se desmancha no ar.

   Hoje, 03 de outubro, é uma das datas mais emblemáticas do Ocidente. Claro que jornal algum no Brasil vai celebrar. Chez nous, o fundo do ar ainda é vermelho, tanto que hoje disputam a Presidência da República três candidatos de extração marxista. Há fatos que as esquerdas não gostam de lembrar. Falo da reunificação das Alemanhas. Há exatamente vinte anos, acontecia o que ninguém acreditava que pudesse acontecer: Alemanha Ocidental e Oriental se fundiam em uma só.  

Nada melhor que relembrar as vozes ainda não muito distantes de tristes fantasmas do século passado. Em 1985, a cinco anos de distância da fusão dos dois países, escrevia o comunista gaúcho Antonio Pinheiro Machado Netto, em Berlim: muro da vergonha ou muro da paz?:

   Hoje não se pode mais falar em reunificação da Alemanha, pura e simplesmente, com fundamento tão somente na língua e história comuns. (...) Não se pode, todavia, afastar a hipótese de, num futuro mais ou menos remoto, vir a ocorrer a unificação (como aconteceu no Vietnã). Esta hipótese, porém, só pode ser considerada se na chamada Alemanha Federal - RFA - passar a existir também um regime socialista.

Uma das maiores bobagens veiculadas no Brasil sobre o Muro de Berlim é que ele foi erguido para evitar as fugas de alemães da RDA para a parte oeste de Berlim. Esta asneira é veiculada até por pessoas que gozam de alguma credibilidade no Brasil, e por órgãos de comunicação, que se apresentam como veículos fiéis à verdade.
   Todos os epítetos lançados contra o muro - afronta à liberdade, vergonha, etc., etc. - escondem apenas o ressentimento e a frustração dos fazedores de guerra que, naquela linha de fronteira, viam o começo da terceira guerra mundial por que tanto sonham, e para cujo deflagrar tudo fazem, com vistas a salvar o capitalismo da crise irreversível em que está mergulhado.

   É natural que na RDA e nos demais países socialistas a tendência seja a diminuição do índice de criminalidade, de vez que as infrações penais que têm origem na miséria, numa vida difícil e atormentada, com dificuldades econômicas e financeiras, tendem a desaparecer por 


completo nos países socialistas, e muito particularmente na RDA. Mas, decorridas quatro décadas, essa mesma Alemanha Ocidental - eis a grande verdade - não resolveu problemas vitais do povo alemão que vive na região ocidental. Mais do que isso. Hoje a República Federal da Alemanha - RFA -, como todo mundo capitalista, é um país atormentado por uma crise de vastas proporções, crise política, econômica, social e moral.   

   A realidade alemã ocidental hoje reflete a crise que avassala o sistema capitalista. Na RFA a situação social também vem se agravando. Progressivamente aumenta a pobreza. Os sindicatos da RFA estão prevendo que até 1990 cerca de 100 mil pessoas perderão seus empregos, atualmente, por força da automação. Afora, evidentemente, o desemprego resultante da crise do capitalismo que existe na RFA e em todo o ocidente capitalista, e que vai continuar.
Adeus Lenin...


   Os meios de comunicação de massa do Ocidente já decretaram que nos países socialistas não há liberdade para os cidadãos e que, especialmente, inexiste liberdade de imprensa. Também decretaram que os direitos humanos não são respeitados no mundo socialista. Daqui cinco anos, na RDA, não haverá mais desconforto habitacional - todas as famílias terão sua casa.

   A história é mulher loureira, dizia um escritor pelo qual não tenho maior apreço. Mas tinha razão. Pinheiro Machado fala com a certeza dos donos da verdade. Os comunistas sempre depositaram uma fé cega na História e olhavam com um misto de piedade e asco para quem não participava de suas crenças. No entanto, aí está: uma só Alemanha, rica e poderosa, para a qual o regime soviético já não passa de uma mancha do passado.


Longa é a jornada de um comunista até o entendimento.



sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Visita à Câmara de Vereadores da capital.


   Por Leal Roubão 

   A Escolinha do Professor Raimundo é mais engraçada e mais inteligente. Vossa Excelência pra cá, pra lá e eles vão se desentendendo.

   Um dos mais velhos e mais sérios lembrou que o sul da Ilha tem dois sistemas de esgoto em andamento. Um deles deveria estar concluído em dezembro de 2014, mas não estará.

   Faltou empenho e disposição dos executores.

   O outro sistema, mais ao sul, tem verbas da JICA (Japan International Cooperation Agency) à disposição da CASAN, mas por falta de obras específicas, o dinheiro está suspenso.

   Assim, no meio de um possível merdamoto, eles discutem temas com muita graça.

   Um deles diz que o dinheiro aprendido com os dois elementos da Guarda Municipal é fato isolado. Ora, se é fato isolado, é suficiente para instalar a CPI.

   Outro diz que o tal vereador que denunciou o prêmio da "seu voto vale uma emenda de um milhão" é mentiroso.

   Outro reclama que um vereador afro-descendente foi alçado ao cargo de prefeito ilegalmente.

   A maioria joga para a platéia, sem nenhum comprometimento com a cidade.

   Nenhum deles fez referências ao novo sistema integrado de mobilidade urbana: ônibus pintados de azul e branco (homenagem ao Avaí), com a nova frase nas laterais.

   Nada mudou, apenas a cor dos veículos. Nos "amarelinhos" a cor foi mantida. Só o preço mudou: aumento de R$ 1 real.

   Ou são idiotas ou não são sérios. São enganados pela PMF e nada dizem.

   Se a capital sobreviver a esta Câmara, estará pronta para a próxima guerra no Oriente Médio.

   Eles atiram para todos os lados e pouco fazem pela cidade. Imagina uma Câmara destas num seminário da ONU sobre o futuro das cidades.

   Florianópolis merece mais.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

35 anos de Cacau Menezes

Cacau com Beto Stodiek 
O colunista Cacau Menezes comemora hoje 35 anos initerruptos de Jornal do Almoço, carro chefe do monopólio jornalistico da RBS em Santa Catarina.
É um feito e tanto. Somos amigos e às vezes trocamos farpas, nada que comprometa as nossas felicidades.
Vai aqui os meus parabéns pelo sucesso de sua carreira e aproveito para republicar um texto que postei aqui no Cangablog em 10 de fevereiro de 2010.

Cacau Menezes e o Mosquito

   O Mosquito acaba de postar uma foto do Cacau Menezes com a camiseta do Tijoladas nas mãos. A foto foi feita esta tarde no Mercado Público.
Uma boa jogada de marketing do Mosquito. Cacau Menezes, colunista da RBS, é o jornalista mais lido de Santa Catarina.

   Sem diploma, Cacau tem uma história na profissão de dar inveja a muito profissional formado. O que não quer dizer que a formação acadêmica seja uma coisa dispensável. Pelo contrário, se Cacau tivesse formação universitária seria melhor ainda.
Mas aí é que está o mérito do colunista, tem pegada, tem fonte e uma forma de escrever original que o transforma no único representante do estilo florianopolitano de falar.

   Trabalhei com Cacau no DC. Sempre tivemos uma relação amistosa e, em um certo periodo, editei sua coluna. Só que a coluna chegava na minha mão e ia direto para o andar de cima, para a direção do jornal. Depois seria editada, tal a importância política das informações que ele divulgava.

   Cacau promove uma casa noturna, um restaurante ou acaba com o empreendimento. Basta uma linha em sua coluna.
Existe em Florianópolis um esporte que é predileto de vários grupos socias localizados principalmente nos bares, em reuniões de pretensos intelectuais ou pessoas ditas informadas: malhação ao Cacau.

   Embora discorde de muitas opiniões do Cacau publicadas em sua coluna, sempre me neguei a entrar nesta joguinho pseudo intelectual. Independente das suas opiniões, da sua imagem, do seu jogo de promover ou malhar alguma coisa ou pessoas, Cacau é, sem dúvida alguma, o maior comunicador e formador de opinião de Santa Catarina.

   Tem na mão, simplesmente, o monopólio dos meios de comunicação do estado, a RBS. É empregado e, como tal, age com a cabeça do patrão. Tem notas censuradas quase que diariamente. Tem informação previlegiada que vai da Polícia Federal ao Tribunal de Justiça passando pelo mundinho mundano da província que nenhum jornalista ou blogueiro tem.

   Quem me disser que trabalha com comunicação e não lê o Cacau tá fora.
Não é imparcial nem independente. É porta voz de um empresa de comunicação que tem uma, digamos, ideologia calcada no lucro e na metamorfose política.

   O Mosquito tem média diária, hoje, de 3 mil acessos no seu blog. É muita coisa!
Cacau Menezes não chega nem perto. Passa muitíssimo longe, para cima, é claro. Mas lê o Mosquito.

Moradores contra destruição de praça em Florianópolis


   No úlimo sábado (1/11) as associações Projeto Parque de Idéias, Associação da Comunidade do Campeche, Amigos da Figueira da Ponta do Leal e Associação de Amigos do Parque da Luz se uniram aos Amigos da Praça Dr. Gilberto Guerreiro da Fonseca, no centro de Florianópolis, e mais uma vez protestaram contra a destruição do espaço público, já aprovada pela Câmara de Vereadores da Capital.

   Membros da Associação de Amigos do Parque da Luz, em um ato simbólico, fizeram a entrega do livro Parque da Luz: um espaço em movimento.

   O local ameaçado de desaparecer é uma área verde, berçario de pássaros, com vegetação nativa e árvores centenárias que fica entre a Alameda Heriberto Hulse e a Rua Prof. Hermínio Jacques, um dos poucos espaços públicos com estas característica no Centro de Florianópolis.

   Os moradores da região se mobilizaram e estão resisitindo à destruição ambiental desde que a Câmara de Vereadores da Capital aprovou, sem consulta pública, Projeto de Lei Complementar (1333/14), que prevê a construção de uma rua bem no meio da praça. O projeto aguarda a homologação do presidente da Câmara, César Faria.

   A contrução da via por cima da praça teria o objetivo de favorecer o acesso ao Colégio Catarinese, tradicional escola privada da Capital.

Só para não esquecer...

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Ideli destila o seu ódio contra os catarinenses



   Colocada, nesta entrevista, como "principal" articuladora da campanha do PT em SC, a ex-senadora paulista, Ideli Salvati, meteu os pés pelas mãos e agrediu o eleitor catarinense que tempos atrás lhe deu um mandato de senadora.
   Ideli não coordenou nada em Santa Catarina. Inimiga figadal de Cláudio Vignhati, candidato ao governo pelo PT, se escondeu durante a campanha para aparecer agora e colocar nos catarinenses a pecha de conservador e direitista. Segue a surrada cartilha petista de que quem não vota no PT é de direita.
   Responsável por trazer o ódio para dentro das escolas no estado, quando presidente do Sinte (Sindicato dos Trabalhadores em Educação), Ideli fez carreira sindical e política em Santa Catarina. Tem um currículo de briga de rua e não de lutas como costuma dizer. Em seus discursos ferozes, sempre destilou a lixívia contra seus opositores que não vê como adversários e sim como inimigos políticos.
   Depois da acachapante derrota do Partido dos Trabalhadores em Santa Catarina, Ideli emerge das sombras para chamar os catarinenses de ingratos.
   O que diriam os catarinenses dela, então?
   Que comeu e cuspiu no cocho!

Leal Roubão:
Muito obscura e dissimulada entrevista da senhora Ideli, ministra-auxiliar da presidenta Dilma. Não é verdade que SC tenha um eleitorado com tendências à direita. O PT já governou grandes cidades como Joinville, Itajaí, Blumenau, Criciúma, Concórdia, Brusque e Tubarão. Só não elegeu o prefeito da capital, talvez, por causa dela. Direita é a aliança dela com a família Sarney. Direita é a aliança com Collor e Renan Calheiros. Quanto aos empregos em SC, nem ela e nem o Raimundo Colombo são os responsáveis diretos. Mas, a organização da economia catarinense que é embalada por ventos favoráveis da conjuntura mundial.

Sérgio: 
excelente e altamente lúcido, o texto sobre a Ideli.
Salvai-nos, Senhor.
Desacreditada, deve estar aguardando uma "boca" no TCU.
SC não merece figuras desse naipe.
Abração do Emanuel Medeiros Vieira