segunda-feira, 1 de abril de 2013

Sharon Stone

   
De William Ear Long,
de Paris, especial para o Cangablog.

    Bon jour, bon jour. Depois de anos trabalhando como correspondente estrangeiro do New York Times, around the world, sinto-me compelido a escrever uma homenagem a Sharon Stone, atriz de projeção internacional, belíssima mulher, simpática visitante que teceu os melhores elogios ao Brasil, país onde também trabalho, como correspondente do Cangablog em Santa Catarina.
    A magnífica Stone que nada tem de pedra, nem louca de pedra é, revelou que pretende passar os melhores dias de sua vida, ao envelhecer, naquela terra de sol e mar, e agora, de muito concreto em forma de módulos habitacionais, como em New York.
    Stone nos remete aos primórdios da História para lembrar que Cleópatra, no Egito, cruzando e descruzando as pernas, conquistou Julio César e Marco Antonio, seu sucessor, mudando os rumos do Império Romano.
    Henrique VII na Inglaterra, com apetite variado para seis esposas, foi outro que experimentou o poder dos encantos femininos.
    Maria Antonieta de Habsburgo e Lorena foi outra, que mesmo de saias rodadas, virou a cabeça de Luis XVI, na França. Foi o último casal antes da Revolução.
    Josephine de Beauharnais, mulher do Imperador Napoleão, foi outra que usou da arte das pernas, desprezando os calções brancos e bordados.
    Na America do Norte, desde Marilyn Monroe até Angelina Jolie. Na França moderna Catherine Deneuve até a Itália de Sophia Loren. No Brasil, Vera Fischer parece ter sido a que mais soube cruzar as pernas em situação fatal.
    Queria sugerir ao próximo governador de Santa Catarina, que outorgue a medalha Anita Garibaldi a senhora Sharon Stone, pelos cuidados que demonstra com Santa Catarina.
    Aliás, este artigo é uma homenagem deste correspondente a todas as mulheres que revigoram nossas vidas, movimentando as pernas.

Um comentário:

Renato Luiz Menze disse...

Meu amigo, mesmo neste dia supersticioso, tenho que render-me a sua homenagem, pois sei muito bem, que é a puríssima verdade. Que sejam todas, as mulheres, eternizadas, cada uma com sua aptidão. Abraços a todas.