sexta-feira, 19 de abril de 2013

Dos asnos, dos cegos e de alguns políticos...

A cabeça do senador LHS é a cabeça da Carmem Miranda revisitada
  Por Marcos Bayer

   Prefeito de Joinville e governador de Santa Catarina, conhecido por suas grandes obras, entre elas as Secretarias Regionais de Desenvolvimento, o metrô de superfície e a restauração da ponte Hercílio Luz, Luiz Henrique da Silveira, num surto de clarividência compara dois monumentos públicos da Humanidade, a Capela Sistina em Roma e a Torre Eiffel em Paris a um projeto de um hotel privado em Florianópolis, sobre a Ponta do Coral.
   Não se pode imaginar que o senador seja advogado da empresa interessada na obra-senadores são proibidos de advogar por determinação legal – não se pode imaginar que seja em razão da amizade com o vice-governador, herdeiro parcial do istmo em discussão.
   Não podemos misturar, também, alguns dos escândalos de seus dois mandatos governamentais, entre eles o caso Aldo Hey Neto e o rombo financeiro na CELESC em parceria com a Monreal, cuja presidência era ocupada pelo atual vice-governador.   Mas, deixemos a visão estrábica e vamos para a visão do cego. Se é que é possível...
   José Saramago, prêmio Nobel de literatura, escritor português em seu Ensaio sobre a Cegueira, mostra como um homem contaminado por ela, em seu veículo, no semáforo, a dissemina a todos que prestam socorro.
   A força da epidemia não diminui com as atitudes tomadas pelo governo e depressa o mundo se torna cego, onde apenas uma mulher, misteriosa e secretamente manterá a sua visão, enfrentando todos os horrores que serão causados, presenciando visualmente todos os sentimentos que se desenrolam na obra: poder, obediência, ganância, carinho, desejo,
vergonha; dominadores, dominados, subjugadores e subjugados.
   Este é o grande perigo da cegueira e dos cegos convictos. Eles podem contaminar o mundo. Começam por sua cidade, depois pelo seu estado, seu país e, finalmente, o mundo.
   Um político que quer forçar uma barra para a construção de um hotel sobre um aterro marinho dando vantagens ao privado em detrimento ao público sofre de cegueira.   Afora o cambalacho já esmiuçado em vários artigos de vários cidadãos, persiste uma vocação amiga entre a empresa construtora, os proprietários do istmo e alguns políticos.
   No futuro, quando olharmos para o metro de superfície do LHS - sua grande obra - compreenderemos o tamanho de nossa cegueira.
   E teremos a certeza de que somos asnos suficientes para votar numa chapa que reúna, como ele quer, o PMDB, o PSD, o PT e o PP.

   Asnos e cegos são capazes de coisas fantásticas...



Da análise analítica do texto publicado e das imagens que o ilustram

Adicionar legenda
Konrad Westruck Heinze Muller
Doutor em psiquiatria e psicanálise 
pela Escola de Viena

   Senhor editor do Cangablog e jornalista Sérgio Rubim:
   
   Durante algum tempo fui residente em Ottakring, nos arredores de Viena. Fui aluno do Doutor Sigmund Freud, o pai da psicanálise e um homem muito doido. Freud nos ensinou a observação do comportamento humano, as reações cotidianas, o mundo onírico. Desde que voltei de Viena fixei residência em Pomerode - Santa Catarina.
   Em Pomerode somos uma colônia alemã bem típica, temos o deputado Knaesel e os leões do zoológico. Eu observo muito os bichos e os humanos que visitam os primeiros.
   Quando o macaco bota a mão naquilo, no sexo, todo mundo ri...
   Quando o leão abre a boca, todos ficam com medo...
   Então eu concluí que mão de macaco e boca de leão são duas experiências fortes e inesquecíveis para os humanos.   A ilustração do artigo em que se comentam as considerações de LHS sobre a Capela Sistina, a Torre Eiffel e a Ponta do Coral, obriga-me ao comentário seguinte: A cabeça do senador LHS é a cabeça da Carmem Miranda revisitada. Ao invés de bananas e carambolas, abacaxis e mangas, ele tem na cabeça metros de superfícies, capelas renascentistas, torres de ferro e ponte do mesmo material. Isto é um sincretismo psico-lático. Ou seja, LHS é brasileiro, de origem Silveira, mas queria ser alemão, ou italiano ou francês. Assim estaria mais acomodado em sua base eleitoral, Joinville.   Como sua equipe de trabalho é majoritariamente composta por gente burra, ele tem fixação nos asnos.   Os cegos são necessários à formação de sua personalidade política para que ninguém veja o que ele praticou no governo.
   Por fim, a mulher, única, que misteriosamente manterá sua visão não é a Ada Lili de Luca.   Esta é minha análise à luz dos ensinamentos freudianos.

*Konrad Westruck Heinze Muller atende todas as 4ª e 6ª em Pomerode, no seu consultório particular. Nos outros dias observa os bichos e os homens no zoológico.

6 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Marcos Bayer e Canga! Quando li o "editorial" do Sr. Luiz XV hoje, naquele lixo que se tornou o DC (não que antes fosse bom, mas atualmente TODOS os veículos da RBS só produzem LIXO), quase tive um ataque de risos. Contive-me pra evitar de a minha esposa me achar um louco ao dar gargalhadas as 6 da manhã!!!! Mas como que alguém compara Torre Eiffel e Capela Sistina com uma obra exclusivamente privada e de gosto duvidoso, sem falar em ilegal!!! É muito Johnnie Walker pra minha cabeça! ic ic ic!! Ademais, de advogado do empreendimento já basta o Moarcir Pereira!!!

EGuerini disse...

Prezado Marcos Bayer,
A crônica de uma morto política anunciada é precedida por aposentadoria compulsório no Senado Federal - vulgarmente denominada , casa das múmias no cenário político brasileiro.
No caso específico de Santa Catarina, a proposta do senator - singelo elogio por sua claridência, o resultado será o mais nefasto de todos os tempos. Tal como Nero, toca lira incendiando qualquer projeto para a província Catarina. A união de todas as forças para reeleição de um marionete ganhará apoios importantes de outros personagens em cadavérica atuação política no cenário estadual e federal.
Louvemos a composição pragmático-oportunista da paralisante política partidária brasileira e catarinense. A descoberta que a urna eletrônica se transformou em "sarcófago" será o produto de um tempo que fazer política em solo catarinense é uma "arte de necrológios".

Anônimo disse...

Lembrei-me da carta do Lóis Quinze no DC, choramingando na nobre página 2 que teve que vender a Brasília da amada esposa para saldar as dívidas com advogados (baratinhos a preço de velha caranga da Volks) que lhe salvaram a cabeça a cassação... Malarmé de Souza

Augusto J. Hoffmann disse...

Pra dividir o mote do Groisman, em alguns comentários percebe-se vida inteligente diurna em SC. Ainda bem, quase perdemos a esperança. Não é possível que o mafagafo eleitor permaneça nessa letargia por tanto tempo. Como não se dão conta dessa enganação, o festival de jabá na mídia, pela distribuição do erário e os elogios, dia após dia, há décadas. Enquanto a dívida de SC dobra, será que já marcaram a próxima greve dos professores?

Anônimo disse...

RECLAMAÇÃO - Dr. Konrad não veio visitar-me nem ontem, segunda, nem hoje terça, a exemplo da última quinta e do último sábado. Domingo consegui licença do diretor do Zoo para visitar meus familiares que sobrevivem nos arredores da serra que nos liga a Jaraguá do Sul. No retorno, o papagaio Doolitle disse-me que nosso 'médico' estaria em Montevideo preparando-se para observar os animais que conduzem o Mercosul pro buraco bolivariano. LP

Anônimo disse...

O Luiz XV de Santa Catarina acompanhado do DUDU da gaita, fazem de tudo para sentar o PMDB no colo do Raimundus Columbus. Quanto $$$$$$$ estará em jogo??????
Será que esse Partido virou amante do Governador de plantão??????