sábado, 13 de abril de 2013

...da mobilidade urbana


   Leitor atento denuncia irregularidades em construções da cidade:

Caro Canga,
o mau exemplo muitas vezes começa no poder público. Vejam o prédio na rua Mauro Ramos, em frente ao IEE, onde a partir da próxima segunda-feira vai funcionar a Fundação Franklin Cascaes, no quarto e quinto andares: o estacionamento de visitantes é em cima da calçada! 
   Observem que à direita, com a Meriva parada, não sobra nenhum centímetro para o pedestre. E tudo isso a poucos metros de onde, em 2008, a administração anterior recuou o canteiro central da avenida para viabilizar a construção de uma calçada em frente àquela sequência de casinhas geminadas tombadas. Dinheiro gasto à toa, porque logo depois inauguraram esse monstro aí, e o ganho que o pedestre teve foi pro espaço.   Esse prédio está irregular pois a lei não permite esse tipo de estacionamento no afastamento frontal. Uma das causas da falta de calçadas e de congestionamentos na cidade é que muitos comerciantes e empresas utilizam esse artificio para aumentar o numero de vagas. O espaço de manobra do carro fica a própria rua e o uso repetitivo de entrar e sair tranca o fluxo. O mais grave é a calçada pois a acessibilidade é o item fundamental dentro da urbanização da cidade. 
   Estranho esse prédio ter Habite-se pois a inclinação da calçada chamada de passeio é de 10% em relação ao meio fio e o espaço minimo ou seja a largura é de 2,00 metros e nesse caso especifico a lei obriga a colocação de barras de aço para impedir o estacionamento irregular. 
   Parabéns por alertar a comunidade para esse tipo de irregularidade.
Gustavo G.

9 comentários:

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Digo eu – 0 leitor do Canga ainda não conhece Xangri-Lá e Capão da Canoa. Em Xangri-Lá todo o comerciante que quer usa o passeio para estacionamento de clientes como se o mesmo lhe pertencesse. Em Capão da Canoa é ainda pior, pois A Justiça do Trabalho, igrejas, comercio em geral e até mesmo o Foro da Comarca assim se comportam sem o menor constrangimento. Aliás, aqui se você ousar estacionar junto ao meio fio vem o “zelador do passeio” avisar que junto ao leio fio é proibido. Isto ocorreu comigo ano passado quando fomos a uma loja. Disse ao cretino que mandasse guinchar.
Quando voltei o carro estava no mesmo lugar e aí soltei uma gargalhada.

Anônimo disse...


Não há nada de estranho quanto ao habite-se. Floripa não é a casa da mãe joana, é o bordel que não queríamos ver transformada, mas o dinheiro tudo pode- a lei é decorativa. Quanto ao comentário sobre exemplo, exatamente o poder público doutrina os servidores para um status acima da lei, são eles próprios os intocáveis marginais (À margem).

Lia/Fpolis disse...

Tenho pendrive cheio de fotos assim que tirava diariamente indo a pé para fisioterapia. Acabei cansando e desistindo de fotografar. Onde é o INSS da Ivo Silveira tem sempre um automóvel [ fora os outros!] Mercedes Bens branco que só falta estacionar dentro do Hall, porque fora ele já estaciona bem onde tem placa 'proibido estacionar'. Na frente da nova loja Ponto1 Veículos é outro descalabro e se comparar as calçadas da loja e do INSS já terão o resumo do que é a administração municipal e não é de agora. Quando Sérgio Grando era prefeito o abrigo de ônibus (aquele antigo de concreto em forma de concha), foi tirado da frente da antiga loja Hoepcke Veículos para a calçada ali ser usada como estacionamento e mostruário de carros ( como fazem agora na Ponto1). Além de tirarem o abrigo,deixando todo mundo no sol e na chuva durante quase 3 anos, o ponto foi posicionado onde a calçada é mais estreita e expõe as pessoas a mais perigo pois já choveu caco de vidro em cima de quem esperava condução após um ônibus bater na traseira de outro que ia já saindo do ponto. O atual abrigo, daquele material caro e péssimo que roubam pra vender o alumínio, foi colocado depois de uma senhora moradora na Abel Capela mandar trocentas cartas ao então Programa César Souza denunciando. No mesmo local, colocaram tijolos de baiano bem onde é o piso tátil para cegos.
No INSS não falta estacionamento fechado. Há um bem na frente do lado direito, grudado ao Brinca Múndi, e na parte de trás do INSS tem outro estacionamento enorme.
Detalhe que no dia da eleição estava cheio de carros estacionados irregularmente e os dois PMs nem aí, com moto em cima da calçada tb e batendo papo. Eu que me estressei com um idiota que estacionara o carro BEM na entrada do Hall, ainda debochou da minha cara quando chamei a atenção e perguntou se eu queria multar tb, além de bater fotos.

Anônimo disse...

O mesmo desrespeito acontece em Coqueiros: as calçadas das farmácias do SESI e Catarinense são usadas como estacionamento em carros mais compridos fazem com que todos tenham que usar a rua para se locomoverem. Muito já se reclamou mas a prefeitura fecha os olhos para os pedestres.

Léo disse...

E ainda tem os comerciantes que também "privatizam" as calçadas....

Anônimo disse...

Qualquer biboca comercial pega o recuo frontal e faz um estacionamento perpendicular, um perigo para os pedestres.

key disse...

País de 3ºmundo pensando ser do 1º. No nosso caso, uma economia ativa funciona, não com excesso de normativas, mas no "caos" da liberdade. Acabem pois com essas "bibocas" e quando todos estiverem a servir a 'velha viúva' talvez tenhamos, com mais fiscais da "mobilidade urbana", uma economia, 'mobilidadisticamente' falando, beeeemmm mais vigorosa, como pensam alguns (ou muitos). O comércio e a indústria, ainda mantém nossa Economia real,paupável$$$. Ao menos, por enquanto. Não esquecendo, claro(OI,TIM), os cursos de Graduação, Pós, MBAs, que vão "salvar" o vivente do purgatório.
Apesar do caso tratar-se de um prédio público, abram uma porta, empreendam, para ver o que é bom 'pra tosse' em um país com essa mentalidade "sacana-politicamente correta".

"Então. É assim,Ó..."

BV

Anônimo disse...

O que ferra com o empreendedorismo é uma cultura avessa à inovação e uma política fiscal capenga. Cumprir normativas de segurança aos pedestres não ferra comércio nenhum, só o do empreendedor também capenga.

Anônimo disse...

O pior de tudo, meu caro Canga, é aquela "obra de arte" na frente deste prédio, parece um ânus no espeto. Quem é o autor da aberração?