quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Mosquito fecha o blog Tijoladas

    Autoridades e "honoráveis" devem dormir tranquilos esta noite. O que parecia impossível aconteceu! Amilton Alexandre, o Mosquito, o blogueiro mais polêmico de Santa Catarina jogou a toalha. Embaixo da centenária figueira da Praça XV, Mosquito redigiu seu último post. Se despede do blog que tanto incomodou os políticos corruptos de Santa Catarina no mesmo lugar em que, há exatos 32 anos, participava do protesto contra o último general da ditadura militar, João Batista Figueiredo, que lhe rendeu uma prisão e o enquadramento na Lei de Segurança Nacional.
    Formado em Administração de Empresas pela UFSC, Amilton Alexandre é nascido e criado em Florianópolis. Conhece a cidade e sua história como ninguém. Sempre foi fio desencapado. Nunca teve papas na língua. Militante estudantil, esteve presente em todos os movimentos contra a ditadura militar e...contra tudo.

    Com seu blog Tijoladas conseguiu, com uma linguagem agressiva, denunciar políticos, juizes e autoridades antes intocáveis pela imprensa venal de Santa Catarina. Conseguiu também acumular mais de 30 processos por calúnia e difamação devido a sua linguagem implacável. Publicava o que todos falam nas ruas e nos bares, mas não tem coragem de publicar.
    É uma lástima que estejamos perdendo o Tijoladas. O Mosquito vai agora cuidar da saúde e da sua vida. Mas para quem conhece o "inseto" sabe que ninguém está definitivamente livre da sua língua afiada.

Tijoladas – O blog vai ficar na história

NOVEMBRADA 32 anos

Na  praça XV – Florianópolis em 30.11.1979
    Estou nesse exato momento na Praça XV, em Florianópolis. Vim para fazer essa última postagem. Minha resistência chegou ao fim. Estou no meu limite físico e mental. Usei esse espaço para denunciar corrupção, expor minhas idéias e defender a existência de uma sociedade melhor.
    Sem trabalho remunerado e cada vez mais preocupado com minha saúde, vou atrás de novos desafios.  Sei da minha capacidade intelectual e quero contribuir com minha experiência de vida.
    Minha luta não foi em vão. Muitas das mudanças que o país teve, eu participei e lutei por elas. Aqui no blog, muitas denúncias que fiz, viraram ações civis públicas e representações no Ministério Público. Tenho uma grande frustração, não consegui ver condenados os menores estupradores de Florianópolis. O processo continua parado no Ministério Público.
    Também acumulei vários processos, a maioria de políticos corruptos. A tarefa em me defender, tem sido árdua e penosa. Mas isso é parte do que plantei.
    Quero agradecer aos milhares de leitores e aqueles que me apoiaram na tarefa de manter o blog na web. O blog continua no ar como arquivo histório virtual desse breve período. (28.09.2008 a 30.11.2011).
    Vou precisar me recompor, vou precisar dos amigos que conquistei aqui.
Amilton Alexandre (Mosquito)
musca99@gmail.com

PutzGraça!!! A sua mesa de bar virtual deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Mosquito fecha o blog Tijoladas": o Blog PutzGraça, de Criciúma, lamenta a desistência do Mosquito. Sabemos que essa parada foi motivada por sabe-se lá quantas ameaças.Por mais que a internet seja tido como um ambiente livre para manifestações, sabemos também que poderosos corruptos (coquetel incendiário) e sua teia infinita têm como parar o impossível. Foi bom enquanto durou. Valeu pelo susto que o Muska deu neles. 


Deise Branndão deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Mosquito fecha o blog Tijoladas": Só posso lamentar. Uma vez que nao posso avacalhar em meu blog o nome do anonimo "ameaçante". Sentirei falta das "escritas do mosquito". Varios posts divulguei igualmente pelo meu. Porque a verdade tem que prevalecer acima dos poderes economicos. Nãodá para ser jornalista, sem ser amante da verdade.
Fica o convite para fazer comentarios diarios no meu blog. E Mosquito, ai ó.... "Eles são muitos... Mas não podem voar.."

B.V. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Mosquito fecha o blog Tijoladas":Se houvesse imprensa séria em nosso Estado, tais jornalistas estariam empregados e cumprindo com seu dever. Mas jornalismo hoje, com os "profissionais" que aí estão, virou colunismo social, responsabilidade social,comprometimento social, covardia social, puxa-saquismo social, etc...social; Claro, todos precisam manter seus empregos e não tem a coragem de um Amilton 'Mosquito' Alexandre.
    Parabéns Muska, cumprisse com a tua missão. Agora vê se procura alguém para "canalizar" energias positívas para vc. Isso é mal-olhado, bicho.
Saravah!!!
Barriga Verde
 

Míriam deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Mosquito fecha o blog Tijoladas": Mosquito, te cuida. Nos vemos naquela audiência pública sobre a Ponta do Coral, estou para escrever um texto a respeito. Tua denúncia sobre as práticas da Hantei foi decisiva para desmascarar a empresa. Continua a bater asas perto da gente!
Míriam Santini de Abreu



Les Paul deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Mosquito fecha o blog Tijoladas":São quase 3 da matina, acabo de acordar e tomando café para sair em viagem de trabalho, a passadinha básica nos jornais e blogs mais quentes como o teu Canga, e acabei surpreendido pela indigitada notícia. Muska sabe as portas em que pode bater e que estarão abertas enquanto durar a reclusão sabática necessária à sua recomposição. LesPaul 

Nouvelle Cuisine e Marisa Monte

Publicado neste blog em 16 de março de 2011. Encontrei hoje e achei muito legal. De novo!




    Tive uma vez um disco do Nouvelle Cuisine. Era muito bom. Eu gostava muito. Os paulistas eram profissionais e sensíveis. Não sei em que mudança se perdeu - o disco. Já busquei os caras na internet e não encontrei referências. 
    Hoje topei com este clip da Marisa Monte com o Carlos Fernando Nogueira interpretando Bess, You Is My Wo que faz parte do ópera-jazz Porgy and Bess dos irmãos George e Ira Gershwin. Adorei. 
    Meu contato direto com os Gershwin se deu através da Kibelandia. Certa tarde o Raul Caldas, no balcão, me disse: - Canga, vai ali na banca da Tiradentes que tem uma promoção com uma coletânea de 4 fitas cassete dos Gershwin. 
    Saí rápido e voltei com a caixa. Veio com as fitas e mais um livreto explicativo. 
Valeu Raul! 
    O Nouvelle Cuisine era um quinteto paulistano que fazia shows em nightclubs e boates no Rio e São Paulo. Surgiu em 1987 e era formado na época por Guga Stroeter (vibrafone e bateria), Flávio Mancini Jr. (contrabaixo), Carlos Fernando (voz), Luca Reale (piano e clarineta) e Maurício Tagliari (guitarra). O repertório era composto por versões em "jazz acústico" de standards dos anos 30 a 50, de autores como Duke Ellington, George e Ira Gershwin, Rodgers & Hart, Charles Mingus e outros.
Saiba mais. Beba na fonte.

Foto: A caixa das fitas cassetes dos Gershwin e um compacto duplo dos Beatles que estava guardado dentro. Hey Jude e Revolution. Não tenho onde tocar.


luiz lanzetta deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Nouvelle Cuisine e Marisa Monte": Caro Canga, costumava ouvir o Carlos Fernando no Baretto, na rua Amaury, quando morava em São Paulo, há uns sete anos. Não sei se ele continua no Baretto, que agora está no Hotel Fasano.
 

terça-feira, 29 de novembro de 2011

PSICANALISTA, MARXISTA E, NATURALMENTE, BURRO

Por Janer Cristaldo

Pior que um psicanalista, só um psicanalista marxista. Verdade que as duas doutrinas são incompatíveis. Mas nestes dias que me foram dados viver, em que há católicos-marxistas, publicitários de esquerda, médicos espíritas e professores universitários que acreditam em Deus – e pior, orientam teses -, nada mais me espanta.

Em entrevista à Folha de São Paulo, o psicanalista britânico Adam Phillips não pede licença para proferir bobagens.
 
Folha - Em Monogamia, o senhor diz que não há nada mais escandaloso do que um casamento feliz. Por quê?

Adam Phillips - O que amamos e odiamos num casamento feliz é ver nossos primeiros desejos e medos acontecendo na vida real. Toda criança começa seu desenvolvimento em uma relação monogâmica, com a mãe. E a maioria passa os primeiros 11, 15 anos da vida muito conectada a mãe e ao pai. É uma espécie de monogamia bissexual. Crescer é passar da necessidade de ter só uma pessoa para a necessidade de ter duas (mãe e pai) e a necessidade e a capacidade de se relacionar com várias.

Cá entre nós, que tem a ver relação com pai e mãe com monogamia bissexual? Como bom herdeiro de Freud, Philips não consegue escapar à tese idiota de que toda relação de um filho ou filha com os pais está eivada de sexualidade. Não existe psicanálise sem o complexo de Édipo ou Electra. É um dogma tão fundamental para a doutrina como a virgindade de Maria para a Igreja. A repórter pergunta então se, diante das dificuldades da monogamia, a solução não seria a infidelidade.

Adam Phillips - Sim. E pode dar certo, mas sempre com conflito. Todo mundo tem ciúme sexual, ninguém suporta dividir seu parceiro de sexo. Alguns dizem que suportam, mas é impossível. Se amamos e desejamos alguém, não queremos dividi-lo com outros.


Parece que o celebrado psicanalista nasceu lá pelo século XIX. Até pode ser que ninguém suporte dividir seu parceiro de sexo, mas a verdade é que todo mundo – ou pelo menos uma significativa maioria – acaba dividindo. As mulheres até podem se manter mais ou menos – mas não muito – fiéis, mas os varões sempre acabam pulando a cerca. Leia tudo. Beba na fonte.


Marcio Pandolfi deixou um novo comentário sobre a sua postagem "PSICANALISTA, MARXISTA E, NATURALMENTE, BURRO": É modinha corrente de alguns "intelectuais" ter asco a tudo q cheire a marxismo. O tal Janer Cristaldo é um deles. Não sei se ele já leu alguma obra de Marx. Mas pelo visto fala de "orelhada"...e de orelhada quem muito fala,
faz a orelha crescer até ficar do tamanho igual a de um ...jumento.



 J.C. Não, não perdi meu tempo lendo Marx. Mas visitei boa parte dos países empobrecidos por seu pensamento. Mais pedagógico do que ler teorias.
 Janer

Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!

    Quando a corregedora do Conselho Nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, afirmou que existe bandido de toga no Brasil causou  frisson nos meios jurídicos do país. Todos sabemos de ações da justiça muitas vezes ilegais e em defesa de interesses alheios à legalidade.

    Bandidagem à parte, existem outras ações dentro dos fóruns brasileiros que são verdadeiros circos. Audiências eivadas de autoritarismo, intimidações e participações ilegais de agentes públicos prestadores de serviço à justiça.    
Um caso que está sendo muito comentado nos meios jurídicos aconteceu recentemente no fórum da Capital. De um lado o blogueiro Amilton Alexandre, editor do blog Tijoladas do Mosquito, com seu defensor dativo. De outro, seu algoz, o prefeito Dário Berger com seu cão de guarda Gerson Basso, o promotor de justiça Aor Steffens Miranda e a  juiza Denise Helena Shild de Oliveira.

    O que era para ser uma simples audiência de instrução, se transformou em uma chanchada de ilegalidades e prepotência, onde o judiciário se mostrou subserviente ao poder político do prefeito Dário Berger.

    Aos fatos:
    Em meio à audiência o promotor Aor Steffens lançou uma "pegadinha" perguntando a Amilton Alexandre (Mosquito) se ele confirmava o que havia escrito em seu blog de que Dario Berger era corrupto. Diante da afirmativa do blogueiro, o promotor, saindo do seu quadrado, cassou a prerrogativa da juiza Denise e, abusando de sua autoridade, deu voz de prisão ao Mosquito. A juiza passivamente aceitou.

    O advogado de defesa do Mosquito tentou argumentar e foi imediatamente silenciado pela magistrada Denise que após confabular com o promotor, recuperando sua prerrogativa, decretou a prisão do blogueiro.

    O espetáculo já estava no adiantado da hora quando surge mais um personagem para compor o picadeiro: Dr. Gerson Basso.

    O personagem da armação atuava como defensor jurídico do prefeito na audiência. Acontece que Basso estava no lugar errado na hora errada: não poderia jamais atuar naquela peça. É servidor público, presidente da Floran, ocupando cargo de confiança do Alcaide Dário Berger e remunerado com dinheiro do povo de Florianópolis.

    Vejam o que diz o Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil a respeito da ilegalidade:



    O Dr. Gerson Basso arrumou para a cabeça: responderá processo por atuar ilegalmente, atropelado o estatudo da OAB. Segundo o artigo 35 do Estatuto da advogacia, as sanções de quem incorrer em tal crime são: censura, suspensão, exclusão e multa.
    Ou seja, o advogado Gerson Basso, se pegar pela frente um conselho de ética com ética, possivelmente perdará sua carteirinha de Dr.

    Esta audiência serve para sentirmos como age a nossa justiça. Como uma simples audiência de instrução pode revelar vaidades, incompetências e prepotências dos nosso agentes públicos. Um advogado que não pode advogar, um promotor que ilegalmente dá voz de prisão, e uma juiza sem autoridade que atua como defensora do prefeito.
    Uma palhaçada!!!!!

A prova do crime: 
Gerson Basso atua ilegalmente em audiência e assina ata:



J.B. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!": O Mosquito tem mais é que processar o Promotor, a Juíza, o Dário e o Gerson. Abuso de autoridade evidente, até porque se o Mosquito em tese cometeu crime chamando o Dário de Corrupto (o que é verdade...) este crime é de menor potencila ofensivo e pelo art.66 da Lei 9099/95 não comporta prisão, tampouco em flagrante, no máximo a lavratura de TC. Ta aí a oportunidade do Mosquito acabar com a cambada, pois "ESTAMOS de OLHO". Quero saber o que a OAB Federal vai fazer, O que o CNMP vai fazer e o que o CNJ vai fazer, pois se depender de suas estruturas locais, nada será feito. JBAAMEC

Velho Mamute deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!": Só não entendi se era essa a pergunta do Promotor? "O senhor afirma que Dário é corrupto?" Como o Muska foi preso, só cabia uma resposta à indagação:
"Eu acho que é corrupto, mas vou dizer que não pra não acabar encarcerado". Foi isso mesmo?


A pergunta foi esta: "perguntando a Amilton Alexandre (Mosquito) se ele confirmava o que havia escrito em seu blog de que Dario Berger era corrupto"

Tecnicamente ocorre o seguinte:
"Anteriormente, o interrogatório era ato que envolvia uma relação juiz-acusado, sem a previsão legal da acusação e da defesa técnica formularem perguntas ao réu; o juiz era, assim, o veradeiro protagonista desse momento processual, conforme dispunha a redação primitiva do art. 187 do CPP: “O defensor do acusado não poderá intervir ou influir, de qualquer modo, nas perguntas e nas respostas”, disposição normativa que se estendia ao Ministério Público pelo princípio da isonomia processual, muito embora, quanto a este, não houvesse uma vedação expressa de intervenção.
A esse respeito, bem observou Magalhães Noronha[5], quando analisou a redação anterior desse diploma processual, ao dizer que “É o interrogatório estritamente ato da autoridade e do acusado. Não podem o advogado ou o Ministério Público intervir, exceto quando se verifique abuso daquela. A presença do defensor, porém, é obrigatória pelo Código”.
A normatização desse ato atualmente, no entanto, é outra.
O interrogatório, agora com nova fisionomia normativa, inicialmente está previsto, de forma exaustiva, nos arts. 185 a 196 do CPP.
Mas foi a Lei nº 11.719/2008, que trouxe significativa modificação quanto ao momento da realização do interrogatório, ao alterar a redação constante dos arts. 400, caput (procedimento comum ordinário), e 531(procedimento comum sumário), do CPP, ao determinar que ele seja realizado ao final da instrução. Antes, ele era realizado no início do procedimento criminal, precedendo o momento de inquirição das testemunhas e da produção de outras provas; atualmente, esse ato processual é realizado na audiência de instrução e julgamento, mas ao final, depois de inquiridas as testemunhas, e dos esclarecimentos dos peritos e de acareações ou reconhecimentos de pessoas, quando for o caso. É assim o interrogatório o derradeiro ato da instrução, conforme se vê dos arts. 400, caput, e 531 do CPP."

E mais:
"No que se refere à realização de um outro interrogatório, a nova redação dada ao art. 196 pela Lei nº 10.792/2003, agora prevê que “a todo tempo o juiz poderá proceder a novo interrogatório de ofício ou a pedido fundamentado de qualquer das partes”;...
c) o juiz interrogante entra em confronto com o réu, havendo nítida parcialidade na colheita do depoimento;
... Na verdade, o interrogatório deve ser renovado toda vez que o anterior, pela forma com que foi realizado, puder ter comprometido os princípios da mais ampla defesa ou do devido processo legal, bem como quando o juiz julgar conveniente sua renovação para melhor formar seu convencimento, pois o anterior apresentava ponto obscuro ou se mostrava omisso ou contraditório quanto a uma questão relevante....
5. Conclusões
O interrogatório possui natureza jurídica híbrida, devendo ser considerado meio de prova e também meio de defesa.
O interrogatório do acusado deve ser realizado ao final da instrução criminal, quer se trate de procedimento comum ordinário, sumário ou sumaríssimo, como igualmente nos casos que evolvem competência do Tribunal do Júri.
O interrogatório do acusado, com a sua nova fisionomia normativa, caracterizado pelo sistema acusatório, está a permitir a intervenção da parte que acusa e da defesa técnica.
A inobservância dos atos que antecedem o interrogatório, ou que se verifiquem quando da sua realização, poderão ensejar nulidades, quer por fundamento infraconstitucional (art. 564, III, alínea e, do CPP), ou por infringência aos princípios do devido processo legal (art. 5º, LIV, da CF) ou da mais ampla defesa (art. 5º, LV, da CF).
(http://www.conamp.org.br/Lists/artigos/DispForm.aspx?ID=187) Colhido em artigo do Doutor em Direito Voltaire de Lima Moraes, Desembargador no RS e Professor da PUC 


Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!": Uma Juíza e um Promotor que têm 2 férias por ano, enquanto todos os demais brasileiros tem 1 só e ainda tem que vender 1/3 para fazer dinheiro e sustentar a família, só poderia dar nisso.
Uma Juíza e um Promotor que percebem, mesmo morando em Florianópolis, auxílio moradia de mais de R$ 2.500,00, só poderia dar nisso.
Uma Juíza e um Promotor que já estão ganhando o auxílio alimentação de R$ 1.000,00 que era só para servidores e extenderam para eles, só poderia dar nisso.
Uma Juíza e um Promotor que deveriam dar exemplo com seus pomposos benefícios e regalias e que em 2011 terão mais de 15% de aumento ano que vem pois em cascata com os Ministros do STF vão encher os bolsos, enquanto brasileiros sobrevivem com mísero salário mínimo, só poderia dar nisso.



B.C. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!": Caro jornalista,
Não assiti à audiência. Assim, acreditando nos ralatórios do Amilton Alexandre e no seu, e não vejo razões para desacreditar, constato a degradação moral e política a que chegamos. Primeiro pela subserviência do advogado-empregadado público municipal. Depois, e mais grave, pelo promotor quando perde a noção de Justiça. Sobre a juíza, titular de poderes constitucionais vitalícios, só há o que lamentar.
Mas, vejo no fato uma grande solução para a cidade. Se fossem presos todos os que dizem que o prefeito é o que o Mosquito afirma, nossa mobilidade urbana estaria solucionada. Florianópolis não teria mais problemas de trânsito.

Beto, o ciclista.  

Roberto Scalabrin deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!": São pessoas como estas, incompetentes ao ponto de não saber quando e como podem atuar, que vem administrando o nosso Estado ao longo de 30 anos de abertura democrática e destruindo tudo que possa depender do Governo, como a infra-estrutura, a segurança, a saúde, a educação, o transporte e até a própria justiça. Acho que nem Deus consegue mais nos ajudar. Roberto Scalabrin

J.L.Cibils deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!": No final das contas quem aprontou uma "pegadinha" e se saiu bem foi o Muska, jogou a isca e os bagres morderam, mostraram como vieram e para que vieram ao mundo.

 F.L. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!": Nesse circo, só deu picareta..Eita...Se fosse juiz, prendia os 3 por formação de quadrilha...hahaha

 L.A.deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Dário é corrupto? O show da justiça catarinense!":Infelizmente, um dos piores judiciários do Brasil é o de Santa Catarina, apesar de ser um estado rico e próspero, seus doutos agentes judiciários deixam a desejar. Tem-se que comunicar o CNJ, posto que princípios comezinhos de direito e princípios constitucionais foram destruídos pelos parciais agentes do poder judiciário. É preciso divulgar nacionalmente inclusive a ABI, portal da transparencia etc..

O lixo que vira arte

    Crianças carentes da Caeira do Saco dos Limões vão realizar espetáculo teatral com o tema  Reciclagem - transformação do lixo em arte. O projeto Transforma e Caeira 21 estimularam essas crianças a fazer um incrível trabalho de transformação do lixo em cenário, figurinos e instrumentos musicais,  produzidos a partir de material descartado e reciclado. É o Lixo transformado em arte, com a participação direta das crianças da comunidade.

    As entidades não conseguiram ninguém para bancar o evento este ano. Através do catarse - plataforma de financiamento de ideias criativas -, estão arrecadando verba para financiar o espetáculo. São apenas R$ 5 mil, é pouco e todo mundo pode ajudar.

    O link para fazer doações é
http://catarse.me/pt/projects/450-paradoxo

    Dependendo do valor da doação, as pessoas ganham desde ingressos para o espetáculo até foto, DVDs e camisetas.

    A apresentação é no dia 4 de dezembro às 19h, no TAC.

    Projeto:
    A sociedade atual encarna, de modo cada vez mais tranquilo, o papel de grande consumidora. Os produtos são, quase sempre descartáveis, tornando-se rapidamente obsoletos. O resultado disso? LIXO, muito lixo, que desejamos descartar tão rapidamente quanto nossa comodidade exige.

     Mas esse lixo pode, e mais do que isso, deve transformar-se.

     Da vontade de difundir essa ideia e lançar luz sobre esse propósito, surgiu um espetáculo de dança – o PARADOXO – que é pretensioso em seus simples objetivos: proporcionar às crianças envolvidas um processo educativo, gerando consciência e estimulando a mudança de postura, e que esse processo resulte em um espetáculo artístico, sem peso político ou estatístico.

     O PARADOXO é estrelado pelos alunos do Projeto Transforma – Educação Através da Dança, que nasceu na comunidade do Caeira do Saco dos Limões (Florianópolis – SC). Cenário, figurinos e instrumentos musicais são produzidos a partir de material descartado e reciclado. É o Lixo transformado em arte, com a participação direta das crianças da comunidade.

     O espetáculo PARADOXO pretende levar ao público a magia da dança, do teatro, da música. E aos alunos do Transforma, proporcionar uma pequena dose do encanto de ser artista, de ser aplaudido. Nosso espetáculo pretende, sobretudo, mostrar que é possível transformar! Transformar lixo em arte, crianças da periferia em protagonistas… por mais paradoxal que isso possa parecer.
Paradoxo será realizado no dia 04 de dezembro de 2011, no TAC – Teatro Álvaro de Carvalho – Florianópolis-SC, às 19h. A entrada é gratuita mediante apresentação de convite. Única apresentação.

     Para realizarmos o espetáculo, precisamos de recursos para pagamento de: Pessoal – Costureiras, Oficineiros, Cinegrafista, Fotógrafo; Equipamentos – luz e som; Aluguel do Teatro; Pagamento ECAD; Acabamentos dos figurinos – tecidos, fitas, etc. Isso corresponde a um valor de R$5.000,00

D'brega'S na Festa Anos 80

    
    Mais atrapalhada do que determinada, a D'brega'S Drama Band segue trôpega em seu intento de levar a música popular brasileira de boteco aos quatro cantos desta cidade. Agora, seu alvo é o pacato e histórico bairro de Santo Antônio de Lisboa, ou mais especificamente, o Bar Açores, um dos redutos boêmios mais aconchegantes da velha Desterro, que, sob nova direção, abre suas portas para a divertida festa Anos 80, no dia 2 de dezembro, com os dublês de artistas da D'brega'S, é claro, e a banda de verdade Quem diria Maria, que abrirá a noite, a partir das 22 horas.

     No palco, o canalha distraído e debochado Reginaldo Moacir, a ciumenta que
não leva desaforo pra casa, Suzete Valdirene, a fingida piriguete Deusolete Furacão, o bagaceiro poeta de boteco Carlinhos Montanha, além dos figurantes Beto Carinhoso, escort boy aposentado, Ademar Meyer Jr., herdeiro da Belina dos produtos de limpeza que está passando agora na sua rua! - e da falida socialite Carminha Valadares, que morre de vergonha da falta de finesse dessa trupe, já que suas tentativas de adequar a turma aos códigos de etiqueta têm fracassado sistematicamente, mas também não larga o osso por nada! Sim, a gente sabe, no fim, quase todo mundo acaba, por bem ou por mal, se identificando com um ou outro personagem, mas o que todo mundo quer mesmo é dançar e cantar até se acabar, sem ligar para o que os outros estão pensando, certo?

     Então, seja você brega, fino, roqueiro demodê, nostálgico ou antenado,
venha dar uma conferida em mais essa festa, que promete sacudir a tradicional comunidade e abrir mais um espaço para aqueles que querem apenas se divertir com o melhor (e o pior!) de uma época saudosa e que nunca sai de moda! O Bar Açores fica na rua Cônego Serpa, nº 20, ao lado da igreja matriz de Santo Antônio de Lisboa. Telefone para reservas e outras informações: 3235-1377. Valor da entrada: R$25,00.

D'brega'S Drama Band

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A história de Jaison

 Prezado amigo Canga

    A história tem sido contada sempre de acordo com o interesse dos vencedores.
Talvez valesse a pena lembrar melhor os fatos e as fotos do passado, pra poder fazer uma análise mais correta, mais verdadeira.
    Daí a remessa do texto e da foto enviada para o Cacau, que julgo muito interessante. A foto recuperada do baú, que tudo indica fará parte de escritos que pretendo publicar, pode ter certeza que tem ainda hoje significado histórico e permite interpretações as mais diversas.
    É do comício das "Diretas" de setembro de 1984 na frente da catedral de Florianópolis.
    O velho Ulysses Guimarães que dorme encantado no fundo do mar, Doutel de Andrade, o então metalúrgico Luiz Inácio da Silva, Esperidião Amim (Governador), eu e outros que você terá curiosidade em reconhecer, lutando por democracia, por liberdade.
    Tenho certeza que os teus leitores, seja os jovens de hoje e os políticos de sempre e de todas as correntes serão chamados a uma reflexão, no momento complicado que o país atravessa.

Saudações Democráticas
Jaison Barreto

SDR fecha escola e abre presídio em Lages

Sonho do secretário de desenvolvimento regional, Jurandi Agustini, é demolir a histórica escola Aristiliano Ramos para contruir a nova sede da  SDR de Lages
  
Colégio Estadual Aristiliano Ramos fundado em 1936
     Alguma coisa está errada em Santa catarina. Aqui se constroe prisões e se fecham escolas. 
    É o caso da Colégio Estadual Aristiliano Ramos, o mais tradicional de Lages, cidade do governador Raimundo Colombo. Lá encontraram uma função para os famosos cabides de emprego, as famigeras Secretarias de Desenvolvimento Regional: fechar escolas!

    Acabei de ler no blog da Olivete Salmória que, por solicitação da Defesa Civil, o Corpo de Bombeiros fez uma vistoria no Colégio e encontrou "graves problemas".

    "Com, isso, a Defesa Civil notificou, na quinta-feira, a Secretaria Regional que determinou o cancelamento das matrículas para o próximo ano. A escola tem sérios problemas estruturais, sem contar o problema dos pombos que estão danificando a edificação e oferecendo riscos à saúde dos estudantes. Até o dia 29 de dezembro as aulas vão continuar normalmente e depois a instituição vai fechar suas portas".

    Mas o que é mais incrível é que ao mesmo tempo em que se tira da cidade um espaço para educar cidadãos, se inaugura outro para deseducar: uma prisão. Colombo entrega à população lageana, dia 5 de dezembro, um novo presídio estalandito de novo. A obra do presídio reginal custou aos cofres públicos R$ 8,7 milhões.

    Esta é a segunda escola estadual a ser fechada pelo governo Raimundo Colombo. A primeira foi a Escola Estadual Governador Celso Ramos, em Florianópolis.
    A demolição do prédio histórico no centro de Lages já vem sendo planejada há tempos. É coisa pensada!
    Em 1 de março de 2011 o secretário da SDR Jurandi Agustini, primo do governador Raimundo Colombo, em entrevista à imprensa lageana manifestava taxativamente o seu desejo de demolir o Colégio Aristiliano Ramos, para ali instalar a sede da Secretaria de Desenvolvimento Estadual. Coisa de gênio! O plano começa a ser executado!

Pobre do país que constroe mais presídios do que escolas!!!!

HISTÓRIA  
O Colégio Estadual Aristiliano Ramos foi testemunha de um histórico fato político de Santa Catarina. Lá pela década de 50, era prefeito de Lages o sobrinho de Aristiliano e irmão de Nereu Ramos, Vidal Ramos Jr. 
    Reza a lenda, que o então secretário de segurança de SC, o udenista Laerte Ramos Vieira, despachou uma força policial para Lages, com a missão de retirar um polêmico ponto de táxi instalado na frente do colégio.
    Ao chegar na praça João Costa, a força policial encontrou o "Tio"Vida, como era chamado, sentado no capô do primeiro táxi da fila.
    Como bom lageano, "Tio" Vida não aceitou o cabresto da capital. Com a camisa aberta e o peito à mostra bradou:
- Daqui o ponto de táxi só sai  com o meu cadáver. Pode atirar!

    O ponto foi retirado somente 30 anos depois com a contrução do Calçadão da Praça João Costa.

Renato deixou um novo comentário sobre a sua postagem "SDR fecha escola e abre presídio em Lages": Hoje esperava o sinal abrir, do Hospital da Guarnição ali na Prainha, e observava o enorme e recém construído Colégio Celso Ramos fechado e invadido pelo mato.
É inacreditável o quanto o Estado de Santa Catarina evoluiu na educação, nestes últimos anos de reinado de Luiz XV, que hoje podemos nos dar ao luxo de ter no centro da Capital do Estado um colégio público fechado, enquanto pais participam de "sorteio" de vagas no Instituto Estadual de Educação.
Renato 


Comentário: 
Olá Sérgio. Boa tarde,
Gostaria de parabenizá-lo pela matéria, este tipo de iniciativa não é a primeira e nem será última, pois estamos sofrendo isso aqui. Atualmente estamos em um dos colégios fechados pelo Governo Luís Henrique que é o Prof Otília Cruz na Coloninha. Perante o Governo invadimos o colégio, perante a sociedade e a comunidade estamos dando continuidade as atividades que por hora teriam que ser feitas pelos o Governo.

Atualmente atendemos cerca de 150 jovens em estado de vulnerabilidade e 40 (melhor idade) em 10 oficinas sem recurso nenhum, somente com uma parceria da Escola de Samba Unidas da Coloninha que através de um projeto futebol apresentado ao FIA recebe a alimentação dos jovens desta oficina, passamos por muitas dificuldades por não ter a cessão de uso do espaço.

No nosso facebook todo história.
Parabéns pela matéria.

____________________________________________________________
Associação de Moradores do Bairro Coloninha - AMORCOLONINHA
Reginaldo Gertrudes
Coordenador de Planejamento e Elaboração dos Projetos Sociais na Comunidade.
Celular: (48) 8806-7040 ou Comercial: (48) 3248-0013 Colégio.
E-mail: amorcoloninha@gmail.com
Facebook:
http://facebook.com/amorcoloninha.bairro

 

Governo dá R$ 97 mil para "Feijoada do Badeko"

    Essa história do Fundo de Turismo repassar dinheiro para ong's a torto e a direito, em algum momento tem que estourar. 
    A última, que está na mira da oposição na Alesc, foi a milionária verba que o governo, através do peemedebista Renato Hinnig, secretário regional da Grande Florianópolis, repassou para a mais nova ONG da cidade, conhecida popularmente como "Ong do Badeko".
    A tal ONG tem o pomposo nome de "Instituto Social Batida da Periferia". Pois esta Batida levou nada menos que R$ 97.450 mil para fazer uma simples feijoada.
    Tudo que envolveu este repasse de dinheiro público para uma empresa privada abastecer seus convivas de cachaça e feijão está ilegal. Desde a assinatura do contrato em 24/10/2011 à sua publicação Diário Oficial em 17/11/2011.  
    A festa na verdade, foi realizada no 16/10/2011, ou seja, primeiro fizeram a feijoada e depois foram lá ssacar o dinheiro dos ontribuintes.
    Além disso, a feijoada paga com o nosso dinheiro, teve cobrança de ingressos e patrocínio de várias outras entidades. Tudo isso é ilegal, com recurso público no evento não poderiam ter cobrado ingressos.

Leiam a denúncia do colunista Raul Sartori:

    Banquete
    Na página 43 da edição do dia 17 do “Diário Oficial do Estado” consta a informação de que o Fundo de Turismo (Funturismo) repassou R$ 97.450 para uma entidade chamada Instituto Social na Batida da Periferia, de Florianópolis. A instituição, “de utilidade pública municipal”, é ligada ao vereador Marcos Espindola (Badeko). O que espanta e revolta é saber que o dinheiro que faz falta para tantas outras necessidades e prioridades foi para a realização da 1ª Feijoada Melhores do Carnaval de Florianópolis 2011. O banquete aconteceu no dia 10 de outubro passado. Uns e outros se esbaldaram no charque, paio, orelha e pé de porco, entre outras iguarias. O contribuinte, o otário de sempre, entrou com o rabo. 



     O que fica mais evidente de que tudo isso é uma armação entre políticos que acaba sendo regada com dinheiro público, é que o vereador Marcos Espindola (Badeko) é o autor do pedido de reconhecimento da ONG como de utilidade pública e está presente e apoiando publicamente todas as suas ações.
    No caso da feijoada, primeiro fizeram e a festa e depois foram lá no nosso cofre e morderam nada mais, nada menos que R$ 97.450,00.

Alô Ministério Público! Até quando?

Fatos do Cotidiano deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Governo dá R$ 97 mil para feijoada do Badeko": Enquanto policiais civís, militares, funcionários da SEA IPREV e PGE estão quase pedindo esmolas para sobreviverem, o Governo Estadual alimenta ONGs fantasmas e de políticos sem carater.....Cadeia Já......Onde anda o Ministério Público nessa hora? 

Um Ribeirão Musical

Arismar, Robertinho Silva e Toninho Horta
 Pelo menos 2 mil pessoas assistiram as atrações do Floripa Instrumental em dois dias da mais pura celebração musical na Freguesia do Ribeirão da Ilha, com participações de músicos daqui, de lá e de acolá, como Toninho Horta, Gabriel Grossi, Robertinho Silva, Ginga do Mané, Yamandu Costa, Guinha Ramires, BB Kramer, Jorginho do Trompete, Cássio Moura e Arismar do Espírto Santo, entre muitos outros .
Felipe Coelho e Bruno Moritz abriram o evento em um show afinadíssimo, na praia.  Ao mesmo tempo, na frente da secular igreja do Ribeirão, passava o som Toninho Horta, Arismar do Espírito Santo e Robertinho Silva, prenunciando o excelente show que fecharia a noite, quando ocorreu um diálogo perfeito entre o trio e o público que lotou o Largo da Freguesia.
No sobe e desce da praia para a praça, o Ginga do Mané recebeu Yamandu Costa, num show de fazer o público aplaudir em pé, e pedir mais do que bis. Assim, Yamandu se consagrou como o embaixador do Floripa Instrumental.
O fim de tarde foi cinematográfico, com o festival em peso assistindo ao show do talentoso Gabriel Grossi e banda, enquanto caía a tarde em tons de vermelho que só no Ribeirão existem.
A programação do primeiro dia fechou com um show primoroso de Jorginho do Trompete, Cássio Moura Trio e Grupo Metal Brasil, seguido de uma Jam Session que reuniu no palco Robertinho Silva, Arnou de Mello e o multiinstrumentista Arismar do Espírito Santo, que já deixou sua marca de alegria e talento na Banda da Lapa com sua oficina gratuita. E foi no domingo que a centenária Banda da Lapa fechou o evento que já provou que tem público e visibilidade para ocorrer anualmente. 

Perdendo o juizo

 Publicado por Ana Lucia Camargo em
01/06/2008no
En tout mes états...

Ando falando com as paredes
Vivendo a vida por tabela
Comendo na beira do prato
Tentando entender teu descaso
Me pendura no cabide,
Dorme com minha roupa...
Me tira do sério
me envolve em mistérios...
To perdendo meu juizo
Já não quero mais essa arte
Pode levar teu estandarte
Guarda teu traje de amigo
Não é disso que preciso
Estou do lado do avêsso
Nem sei se me reconheço
Prefiro ficar sem assunto
Do que tentar chegar junto
Me perdendo em teu olhar
Mas estou certa que um dia
Voce vai me procurar e...
Na virada da gamela
Voce vai encontrar
Aquelas bobagens
Que eu chamava de amor...

domingo, 27 de novembro de 2011

Soco na mesa adianta?

 Por Sérgio Rubim

Atitude firme e agressiva de deputado federal catarinense denunciando favorecimentos de funcionários federais à empresa espanhola em detrimento de SC parece ter surtido efeito. Tomara que não seja apenas mais uma encenação nos palcos brasilianos.

    Quando na semana passada o deputado federal por Santa Catarina, Esperidião Amin, deu um soco na mesa e acusou funcionários da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) de "Vocês são advogados da concessionária, estão agindo com desonestidade", levantou uma questão muito maior do que uma simples questiúncula de província entre Santa Catarina e o governo federal.

    A acusação/desabafo que quase gerou “cenas de pugilato” aconteceu em Brasília durante o Fórum Parlamentar Catarinense e estava relacionado ao engavetado do projeto da Alça de Contorno da BR-101 em SC. A acusação de que a ANTT, que deveria fiscalizar a concessionária OHL, estaria beneficiando-a é grave.  

    Presentes ao acalorado bate-boca, deputados catarinenses e secretários de estado que representavam o governo de Raimundo Colombo. A cena de defesa feita por funcionários federais à OHL foi tão descarada que causou grande mal estar e imediatamente levantou suspeitas de propinas e corrupção entre o órgão federal e a empresa espanhola.

    A reação violenta de Esperidião Amin marcou não só uma nova forma de intervenção dos representantes catarinenses no congresso, acostumados à concórdia e a submissão à interesses privados e políticos, mas também serviu para levantar o histórico do fracasso - para o contribuinte - das privatizações de rodovias do governo Lula.

    Das sete grandes BRs “privatizadas” no país desde 2007, em nenhuma foi realizada uma grande obra. Todas as obras contratadas estão paradas e muitas sequer saíram do papel.

    É o caso do contorno rodoviário de Florianópolis em Santa Catarina que tem prazo de término marcado para fevereiro de 2012 e até hoje não saiu do projeto. A nova previsão é de só estar pronto em 2015. Mas a concessionária OHS já cobra pedágio (2 centavos/km) e tenta dar um golpe embolsando o dinheiro da obra completa diminuído em 20 km seu percurso. Ou quer comer a grana dos 20 km ou, mudando o seu traçado original, vai passar por terras compradas há pouco por políticos e empresários que vivem de mamar no dinheiro dos contribuintes.

    A concessionária espanhola OHS foi a que abocanhou o maior número de estradas licitadas pelo governo Lula. Das sete maiores e mais importantes rodovias do país, a OHL ganhou cinco. Em todas as licitações usou o golpe do “menor preço”. Esta é a modalidade aplicada pelo governo federal para conceder as nossas estradas para empresas privadas. Quem oferecer a menor tarifa de pedágio leva a concessão. Em troca deveriam realizar duplicações e contornos rodoviários em grandes cidades e capitais. Nada disso aconteceu.

     Mesmo sabendo que não terá condições de realizar as obras com o preço apresentado, a OHS vei em frente, empurra com a barriga e alega falta de licenças ambientais para iniciar as obras. 
    Este tipo de bandalheira acontece aqui em SC. Todas a licitações de obras por menor preço acabam sendo "aditadas" mais adiante e aquele preço baixo inicial acaba num festival milionário de dinheiro repartidos entre políticos e empresários.

    O golpe está funcionando nas cinco rodovias que a OHS foi vencedora das licitações: Régis Bittencourt, Fernão Dias, Litoral Sul (SC), Planalto Sul (PR/SC) e Autopista Fluminense.

      O resultado disso tudo é o enriquecimento de políticos e funcionários federais corruptos, causando prejuízos milionários para empresas de transportes em todo o país, o desaparecimento de verbas que poderiam ser usado em saúde, educação e segurança e principalmente no número de acidentes e mortes pelo péssimo estado das estradas.

    Nos últimos cinco anos o número de acidentes nestas rodovias aumentou em mais de 50%.

    Uma virada de mesa, como a aque aconteceu semana passada, poderia ser mais frequente no Congresso Nacional. Representantes de Santa Catariana deveria se manifestar com mais vemência, denunciando e mostrando que neste aestado existe gente de coragem e que não entra na farra dos favores e favorecimentos praticada pelos herdeiros de Luiz Henrique da Silveira.

L.A. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Soco na mesa adianta?": Canga, o negocio é velho!!Ganham a concorrencia com o menor preço, depois fazem um aditivo pra poderem concluir a obra!!A reforma do CIC é assim...O Teatro Pedro Ivo foi assim...E muitas outras obras...Artimanha pra abrigar os amigos...E o combribuinte bancando de trouxa!  
L.A. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Soco na mesa adianta?": Prezado Canga,
Seria interessante perguntar para os representantes do PT catarinense, porque seu mentor intelectual -José Dirceu e seus afilhados , a ex-senadora e atual ministra, seu ex-marido e Presidente da Eletrosul, o José Fritsch, tem a dizer sobre o assunto dos pedágios e concessões com consultoria de vulto do partido do condomínio. Governista.
Que tal eles quebrarem o silencio?
 

sábado, 26 de novembro de 2011

Governo dá R$ 97 mil para feijoada do Badeko

    Essa história do Fundo de Turismo repassar dinheiro para ong's a torto e a direito, em algum momento tem que estourar. 
    A última, que está na mira da oposição na Alesc, foi a milionária verba que o governo, através do peemedebista Renato Hinnig, secretário regional da Grande Florianópolis, repassou para a mais nova ONG da cidade, conhecida popularmente como "Ong do Badeko".
    A tal ONG tem o pomposo nome de "Instituto Social Batida da Periferia". Pois esta Batida levou nada menos que R$ 97.450 mil para fazer uma simples feijoada.
    Tudo que envolveu este repasse de dinheiro público para uma empresa privada abastecer seus convivas de cachaça e feijão está ilegal. Desde a assinatura do contrato em 24/10/2011 à sua publicação Diário Oficial em 17/11/2011.  
    A festa na verdade, foi realizada no 16/10/2011, ou seja, primeiro fizeram a feijoada e depois foram lá ssacar o dinheiro dos ontribuintes.
    Além disso, a feijoada paga com o nosso dinheiro, teve cobrança de ingressos e patrocínio de várias outras entidades. Tudo isso é ilegal, com recurso público no evento não poderiam ter cobrado ingressos.

Leiam a denúncia do colunista Raul Sartori:

    Banquete
    Na página 43 da edição do dia 17 do “Diário Oficial do Estado” consta a informação de que o Fundo de Turismo (Funturismo) repassou R$ 97.450 para uma entidade chamada Instituto Social na Batida da Periferia, de Florianópolis. A instituição, “de utilidade pública municipal”, é ligada ao vereador Marcos Espindola (Badeko). O que espanta e revolta é saber que o dinheiro que faz falta para tantas outras necessidades e prioridades foi para a realização da 1ª Feijoada Melhores do Carnaval de Florianópolis 2011. O banquete aconteceu no dia 10 de outubro passado. Uns e outros se esbaldaram no charque, paio, orelha e pé de porco, entre outras iguarias. O contribuinte, o otário de sempre, entrou com o rabo. 



     O que fica mais evidente de que tudo isso é uma armação entre políticos que acaba sendo regada com dinheiro público, é que o vereador Marcos Espindola (Badeko) é o autor do pedido de reconhecimento da ONG como de utilidade pública e está presente e apoiando publicamente todas as suas ações.
    No caso da feijoada, primeiro fizeram e a festa e depois foram lá no nosso cofre e morderam nada mais, nada menos que R$ 97.450,00.

    Até quando Ministério Público?





Proposição:
PL./14257/2010
Entrada: 16/11/2010
Origem: Legislativo
Autor: MARCOS AURÉLIO ESPÍNDOLA (BADEKO)
Ementa DECLARA DE UTILIDADE PÚBLICA O INSTITUTO 
SOCIAL NA BATIDA DA PERIFERIA.

Plano de Saúde: empresa não consegue contratar médicos

Depois de afirmar em audiência pública que nada tinha a ver com o novo plano de saúde do governo, secretário Dalmo de Oliveira entra em campo para tentar salvar contrato 


    A contratação obscura de uma empresa por quase 4 milhões de reais para administrar e montar o novo plano de Saude do Governo do Estado e esta empresa não consegue fazer o papel principal que é credenciar os médicos.
    Saiba Rubim que o número de médicos e hospitais cadastrados no SC Saúde, até o dia de hoje, é ZERO. 
    Não podemos esquecer que o contrato com a UNIMED termina dia 31/12/2011. O que tem que gerar conflito não é o governo do estado com os médicos e sim o governo cancelar o contrato com a empresa responsável em fazer o credenciamento e não consegue.

    O que me admira é o secretário da saúde sr. Dalmo depois de frisar várias vêzes na audiência pública da Alesc que não tinha nada a ver com a empresa de sua ex-assessora, Irene Hahn, a Saúde Suplentar entrar em campo para tentar "salvar" o contrato conforme escreve Moacir Pereira: "Nova reunião entre médicos e SC Saúde em 25 de novembro de 2011

1)
Pergunto de quem é o interesse de contratar uma empresa ao custo de quase 4 milhões de reais/mês que não tem competência para sequer credenciar um médico para o novo plano?

2) Por que o secretário da saúde que afirmou várias vezes que não tem nada a ver com o assunto e entra agora em campo para fazer o trabalho da empresa contratada?
3) Por que a UNIMED está investindo pesado em propaganda no horário nobre, apenas para se despedir e desejar sucesso ao novo plano?
4) Será  que o final da novela iremos ver a renovação emergencial do contrato com a UNIMED?
5) e a empresa contratada por 4 milhões vai fazer o que?
6) será que já estava tudo combinado?
7) Como uma empresa que sequer tem competência para fazer o mínimo, que é credenciar médicos, ganhou a tal Licitacão?
Carlos Mor

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Plano de Saúde: empresa não consegue contratar méd...":Sendo assim, não podemos esquecer que é os servidores públicos que operacionaliza as políticas de saúde,educação e segurança.Somos nós que damos sentido, corpo e qualidade aos serviços. Então, devemos ter consciência do nosso papel na garantia dos nossos direitos como clientes e usuários do SUS independentemente da situação que se apresentem.
É imprescindível que compreendamos o acesso universal à saúde e o respeito às singularidades de cada indivíduo, sem qualquer tipo de discriminação, de acordo com os direitos e garantias constitucionais. Por isso, nós povo temos que ter atitude...vou optar pelo SUS, e promover uma manifestação para tirar o atual secretário da saúde do poder, ele esta se fingindo leitão para mamar deitado? Cade os sindicatos em defesa dos benefícios.... 
 J.N. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Plano de Saúde: empresa não consegue contratar méd...": SC SAÚDE : MUDAR PARA SOS SAÚDE...ESTAMOS DIANTE DE UMA MOMENTO CRÍTICO...AGORA É HORA DO SERVIDOR ESCOLHER O SEU PLANO DE SAÚDE.ESSA HISTÓRIA DO SC SAÚDE É PRA BOI DORMIR E MALANDRO MAMAR DEITADO. EU VOU PRO SUS, E TE GARANTO NÃO MORRER NA FILA, VOU EXIGIR MEUS DIRETOS CONSTITUÍDOS POR LEI, OS RECURSOS DO SUS ESTÃO SENDO DEVASTADOS E ARRUINADOS A VÁRIOS ANOS...COM O PROPÓSITO DE INDUZIR A POPULAÇÃO BUSCAR OUTRAS ALTERNATIVAS FAVORECENDO A EXPLORAÇÃO DA INICIATIVA PRIVADA, PORÉM OS BAIXOS E SALÁRIOS E ALTOS CUSTOS DOS PLANOS DE SAÚDE LEVA AS PESSOAS ACEITAR AS CHANTAGENS COMO ESSA QUE O SECRETÁRIO DALMO E GOVERNO ESTÁ APRESENTANDO PARA OS SERVIDORES. EU VOU USAR O SUS E TE GARANTO MAIS UMA VEZ NÃO VOU MORRER NA FILA.PRA NÓS POVO ESTÁ FALTANDO ATITUDE.

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Plano de Saúde: empresa não consegue contratar méd...": Ótima postagem mesmo.
Sim, nós aqui os patetas que pagam impostos vamos investir 4 milhões mensais, isso é um absurdo. Será que o povo é tão trouxa assim?
Está na hora de alguém fazer o povo ver isso, chega de gente ganhando dinheiro fácil a custa de nós, porque é isso que vai acontecer enriquecimento rápido e fácil dessa empresa, essa Irene vai ficar milhonária rapidinho, com o "lucrinho" que ela vai obter, ainda mais com aquele lance da empresa aumentar de 50 para 500 mil em um mês, só não vê quem não quer que isso é tramóia das boas. Isso é brincadeira, revoltante, vergonha de ser catarinense com uma administração dessa. Imaginem 4 milhões na saúde sendo bem administrado dentro do estado, mas não, isso vai para o bolso de alguns privilegiados. O mínimo que poderia ser feito neste contrato é uma prestação de contas mensal dessas empresas envolvidas.
Desculpe o desabafo, mas não dá para se conformar com essa situação


 L.A. deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Plano de Saúde: empresa não consegue contratar méd...": Excelente postagem! Resumiu tudo que penso desse Sr. Dalmo Claro. Chega de pessoas desonestas na Secretaria de Saude. Deveriam fazer uma faxina na Secretaria de Saude, começar do zero.
E o Hospital Florianopolis fechado a 2 anos? Não há previsão de término da obra. O Sr. Dalmo Claro só está preocupado com a campanha dele para deputado federal em 2014...espero que não se eleja como ocorreu em 2010, não precisamos de mais pessoas feito ele no congresso. 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

DE BAR EM BAR

    Por Janer Cristaldo

    Melhor os bares, dizia eu há pouco, me referindo aos museus. Ou restaurantes. Em algum momento de sua obra, Kafka fala de uma utopia, uma casa onde toda pessoa pode entrar e sair na hora em que bem entender. Essa utopia existe desde há muito. São os bares e restaurantes. Em Praga, recentemente, estive não exatamente em uma dessas casas de Kafka, mas na casa de Kafka. Que hoje é um restaurante. Fica em frente àquele relógio astronômico que reúne centenas de turistas a cada hora.

    Em 2007, comentei o livro A Invenção do Restaurante, de Rebecca L. Spang, que estuda o fenômeno em suas origens, ou seja, em Paris. Considero os restaurantes um dos mais esplêndidos achados da história humana. Neste livro de Rebecca, descobri que os restaurantes evoluíram das maisons de santé até o que hoje conhecemos por restaurante. A palavra decorre de uma paráfrase de um versículo de Mateus (11:28) "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei". Lá pelos estertores do século XVIII, um dos primeiros restaurateurs da época pôs na entrada de sua casa esta frase um tanto blasfema: "Accurite ad me omnes qui stomacho laboratis et ego vos restaurabo". Ou seja, corram a mim todos vós cujos estômagos padecem, e eu vos restabelecerei.

    O mundo está cheio de comensais que comem sem jamais pretender entender o que comem. Há também os que gostam de saber o que estão comendo. Me situo entre estes últimos e entre minhas leituras prediletas estão os autores que tratam de história da comida. O primeiro livro que li nesta área foi Food in Civilization – How History Has Been Affected by Human Tastes, de Carson I. A. Ritchie. O livro tem uma origem curiosa. Carson havia convidado alguns amigos a jantar em um bom restaurante. Comeram bem e fartamente. Na hora de pagar, Carson pegou a carteira ... e viu que não tinha dinheiro suficiente. Seus amigos o salvaram. "Mas uma vez passado o mau momento, pensei que a história da alimentação em algo se parece a esta anedota: quando chega o momento de pagar o banquete, podemos descobrir que o que desfrutamos custa mais do que estávamos dispostos a pagar quando nos sentamos à mesa". Decidiu então escrever este estudo para que o leitor descubra uma nova interpretação de sua própria história e de suas atitudes frente ao que come. Leia mais. Beba na fonte.